Meteorologia

  • 14 ABRIL 2021
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 20º

Edição

Pequim considera resolução da UE sobre Hong Kong "ingerência flagrante"

A República Popular da China considera "ingerência flagrante" em assuntos internos a resolução do Parlamento Europeu que condena a repressão em Hong Kong.  

Pequim considera resolução da UE sobre Hong Kong "ingerência flagrante"
Notícias ao Minuto

10:59 - 22/01/21 por Lusa

Mundo Pequim

Os eurodeputados aprovaram por maioria, quinta-feira, uma resolução que condena a repressão contra ativistas pró-democraciade Hong Kongestimando que o recente acordo entre aChina e a UniãoEuropeia sobre investimentos pode colocar em causa a credibilidade da Europa em matéria de Direitos Humanos.

O texto pede aos 27 Estados membros para "considerarem rapidamente a introdução de sanções contra pessoas em Hong Kong e na China".

A resolução cita a chefe do executivo da Região Administrativa Especial de Hong Kong, CarrieLam, e outros "membros leais" do governo local.

Em reação, aporta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Pequim, HuaChunying, apelou hoje aos eurodeputados "a admitir o facto de que (o território) de Hong Kong foi restituídoà China" pelo Reino Unido em 1997.

De acordo com a porta-voz, alguns deputados "misturaram o bem e o mal" envolverem-se em "ingerências flagrantes nos assuntos de Hong Kong, que pertence à China".

O Parlamento Europeu deve "cessar todas as formas de ingerência" acrescentou HuaChunyingperante os jornalistas, em Pequim.

O acordo entre a República Popular da China e a União Europeia, concluído em finais de 2020, foi criticado por inúmeras vozes que denunciaram a imposição da lei de segurança nacional em Hong Kong e o incremento da repressão contra a minoria muçulmana no nordeste do país.

O Parlamento Europeu advertiu que vai levar em linha de contra a "situação de direitos humanos na China em relação a Hong Kong quando tiver de aprovar o acordo de investimento".

O processo de ratificação do tratadodeve ficar concluído nos próximos 12 meses.

Leia Também: Uigures. China diz que acusações dos EUA são "mentiras absurdas"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório