Meteorologia

  • 08 MARçO 2021
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 15º

Edição

O momento da detenção de Navalny no regresso à Rússia

Serviços prisionais russos informaram que Navalny "permanecerá detido até à decisão do tribunal", sem especificar uma data.

O opositor russo Alexei Navalny foi detido, este domingo, à chegada a Moscovo. Recorde-se que Navalny foi vítima de um envenenamento com composto neurotóxico do tipo Novichok, no passado mês de agosto, ato que, segundo o ativista, foi ordenado pelo Presidente russo, Vladimir Putin

O principal opositor russo terá sido detido por ter violado os termos de uma pena de prisão suspensa a que foi condenado em 2014, alegaram as autoridades.

Navalny foi interpelado pela polícia à chegada ao aeroporto Cheremetievo de Moscovo, quando ia passar pelo controlo de passaportes. São já vários os vídeos divulgados nas redes sociais do momento da detenção de Navalny.

Os serviços prisionais russos precisaram que Navalny, de 44 anos, "figura numa lista de pessoas procuradas desde 29 de dezembro de 2020 por múltiplas violações do seu período probatório".

"Alexei foi detido sem que o motivo fosse explicado (...). Não me deixaram regressar para junto dele" após ter passado pelos serviços fronteiriços, afirmou, em declarações à AFP, a advogada do opositor, Olga Mikhailova.

Vários aliados e apoiantes de Navalny, incluindo o irmão do opositor, Oleg, foram também detidos em Moscovo e em São Petersburgo.

Os serviços prisionais russos informaram que Navalny "permanecerá detido até à decisão do tribunal" sobre o seu caso, sem especificar uma data.

UE, EUA e Amnistia Internacional pedem libertação

A detenção de Alexei Navalny está sob os holofotes mediáticos, tendo já várias figuras pedido a libertação do opositor russo.

A organização de defesa dos direitos humanos Amnistia Internacional condenou a detenção do opositor russo Alexei Navalny, à chegada a Moscovo, após ter recuperado de um suposto envenenamento em agosto, pedindo a sua detenção "incondicional".

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, considerou "inaceitável" a detenção do opositor russo Alexei Navalny à sua chegada a Moscovo, e apelou às autoridades russas para que o libertem "imediatamente".

O conselheiro de segurança nacional do presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, exigiu a libertação imediata do opositor russo Alexei Navalny, detido à chegada a Moscovo.  

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório