Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2021
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 18º

Edição

Pacientes do Amazonas serão transportados para outros estados brasileiros

Pacientes do estado brasileiro do Amazonas serão transportados para outras unidades federativas do país devido à falta de oxigénio e ao colapso do sistema de saúde local, informou hoje o governador Wilson Lima.

Pacientes do Amazonas serão transportados para outros estados brasileiros
Notícias ao Minuto

20:25 - 14/01/21 por Lusa

Mundo Covid-19

De acordo com o governador, Goiás, Piauí, Maranhão, Brasília, Paraíba e Rio Grande do Norte são as unidades federativas que irão acolher os pacientes provenientes de hospitais do Amazonas, no norte do Brasil.

Já o coronel Franco Duarte, representante do Ministério da Saúde, afirmou que serão transportados pacientes cujo estado de saúde seja considerado moderado.

"São pacientes que ainda continuam dependentes do oxigénio, mas têm toda a segurança plena para serem aerotransportados. (...) O paciente do Amazonas que subir na aeronave terá toda a segurança e assistência, com cobertura até de assistentes psicossociais, para não haver falha nenhuma", afirmou Duarte, citado pelo portal de notícias G1.

Na manhã de hoje, pelo menos 30 pacientes infetados com covid-19 na cidade de Manaus, capital do Amazonas, foram transferidos para o Hospital Universitário de Teresina, no Piauí.

O recrudescimento da pandemia em Manaus agravou a situação dentro de hospitais e há relatos de falta de oxigénio para tratar pacientes com covid-19.

O investigador Jesem Orellana, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na Amazónia, citado pelo jornal Folha de S.Paulo, disse ter recebido vídeos, áudios e relatos telefónicos de pessoas que atuam na linha de frente de unidades de saúde com informações dramáticas.

"Estão relatando efusivamente que o oxigénio usado para tratar pacientes em estado grave acabou em instituições como o Hospital Universitário Getúlio Vargas e serviços de pronto atendimento", afirmou Orellana.

"Acabou o oxigénio e os hospitais viraram câmaras de asfixia (...) Os pacientes que conseguirem sobreviver, além de tudo, devem ficar com sequelas cerebrais permanentes", salientou o investigador.

A falta de oxigénio para pacientes foi confirmada à Folha pelo reitor Sylvio Puga, da Universidade Federal do Amazonas, que administra o Hospital Universitário Getúlio Vargas.

Puga explicou que na manhã de hoje, por falta de oxigénio, os pacientes receberam atendimento através de ventiladores mecânicos, que são equipamentos que precisam do auxílio de uma pessoa para funcionar, acrescentando que os funcionários do hospital trabalham para evitar a morte dos pacientes.

Na rede social Twitter, o governador Wilson Lima indicou que "o aumento do consumo de oxigénio no estado é resultado da ampliação de camas para atender pacientes com covid-19", acrescentando que acompanhou na manhã de hoje "a chegada de tanques de oxigénio que vão abastecer a rede estadual de saúde".

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, visitou o Amazonas esta semana e afirmou que Manaus é "prioridade nacional neste momento".

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo maior número de mortos (205.964, em mais de 8,2 milhões de casos), depois dos Estados Unidos.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.979.596 mortos resultantes de mais de 92,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório