Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2021
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

Níger pede mais empenho da comunidade internacional no Sahel

O Presidente do Níger disse hoje durante uma intervenção nas Nações Unidas que o massacre de 100 civis pelos terroristas mostra a fragilidade da região do Sahel e pediu à comunidade internacional para se mobilizar.

Níger pede mais empenho da comunidade internacional no Sahel
Notícias ao Minuto

19:58 - 06/01/21 por Lusa

Mundo Níger

"O massacre de mais de 100 pessoas inocentes no dia 02 de janeiro na região de Tillabéry, na fronteira com o Mali, faz-nos lembrar o contexto frágil da região cujas primeiras vítimas são mulheres e crianças", disse Mahamadou Issoufou, na reta final do seu mandato, que terminará quando se realizar a segunda volta das presidenciais, em fevereiro.

No sábado, cerca de cem civis foram mortos em duas aldeias do Níger, na zona que faz fronteira com o Mali, num ataque que foi classificado como o mais mortífero contra civis, segundo a organização não-governamental Acled, que acompanha a violência na região.

As duas aldeias, Tchoma Bangou e Zaroumadereye, estão localizadas na região conhecida como as 'três fronteiras' entre o Mali, o Burkina Faso e o Níger, e é um dos epicentros da violência 'jihadista' no Sahel.

Repetindo um pedido feito com frequência pelos chefes de Estado dos países desta região e pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, o Presidente do Níger defendeu novamente que a força de paz composta por elementos regionais e internacionais, nomeadamente franceses, fosse colocada sob um mandato da ONU que facilitaria, em particular, o seu financiamento, e permitiria uma dimensão maior.

"Esperamos que os membros do Conselho de Segurança, cuja missão é assegurar a paz e a segurança mundiais, coloquem o Sahel e a Bacia do Lago Chade no centro da sua agenda", concluiu Issoufou.

O Sahel é uma faixa de território entre o deserto do Saara e o Sudão, que inclui diversos Estados e onde se regista o maior aumento do terrorismo 'jihadista', apesar da presença militar francesa e da ajuda financeira da União Europeia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório