Meteorologia

  • 18 JANEIRO 2021
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

França vai comprar 200 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19

O Governo francês vai comprar cerca de 200 milhões de doses das diferentes vacinas contra a covid-19, a vacinação será gratuita e o plano de vacinação vai ser aprovado pela Assembleia Nacional, anunciou hoje o primeiro-ministro.

França vai comprar 200 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19
Notícias ao Minuto

18:54 - 03/12/20 por Lusa

Mundo Covid-19

"A vacinação vai fazer-se progressivamente, com prioridade às pessoas mais vulneráveis. A França disporá de um potencial de 200 milhões de doses", anunciou esta tarde o primeiro-ministro, Jean Castex, numa conferência de imprensa em que falaram também outros membros do Governo.

A campanha de vacinação deverá começar em janeiro, após a aprovação das instâncias europeias e francesas que regulam os medicamentos, e as primeiras pessoas a receberem a vacina são os residentes dos lares e as pessoas que lá trabalham.

A seguir, de forma progressiva, a vacina deverá chegar a todos até à primavera.

O primeiro-ministro indicou que 200 milhões de doses inclui já as duas doses por pessoa, num país com cerca de 60 milhões de habitantes, e possíveis perdas, garantindo que este é o número correto para ter toda a população coberta.

A vacina será gratuita e, devido às dúvidas levantadas por diferentes coletivos em França contra a vacinação, Jean Castex insistiu que nada será feito "sem as garantias" das autoridades sanitárias.

Tal como o Presidente Emmanuel Macron já tinha afirmado, a vacinação em França não será obrigatória.

Em França, a campanha de vacinação será liderada pelo médico e investigador de Imunologia Alain Fischer, que explicou também esta tarde as diferentes vacinas que vão estar à disposição nos próximos meses. 

Alain Fischer vai presidir ao recém-criado Conselho de Orientação da Estratégia de Vacinação, que fica sob a alçada do gabinete do primeiro-ministro.

O plano de vacinação vai ser votado na Assembleia Nacional, de forma, segundo o primeiro-ministro, a garantir "a transparência" do processo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório