Meteorologia

  • 15 ABRIL 2021
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 21º

Edição

Protestos em Nova Iorque defendem direitos LGBTQ e de negros

Na terceira noite após as eleições presidenciais nos EUA, manifestantes nas ruas de Nova Iorque defenderam a saída de Donald Trump, os direitos de lésbicas, 'gays', bissexuais, transexuais e 'queer' (LGBTQ) e também dos negros.

Notícias ao Minuto

04:46 - 06/11/20 por Lusa

Mundo EUA/Eleiçõe

Na quinta-feira realizaram-se vários protestos, tanto em Manhattan como em Brooklyn, do outro lado do rio, incluindo um protesto semanal pelos direitos LGBTQ, apelidado de Protestos de Stonewall.

A marcha, que começa em frente ao bar 'gay' Stonewall Inn, foi interrompida pela intervenção da polícia, com alegações de brutalidade policial contra o líder do evento.

Imobilizado por um agente das forças de segurança, com as mãos atrás das costas, um dos organizadores, Joel Rivera, envergando um vestido prateado, gritava: "porque me bateram?".

Horas antes, Joel Rivera tinha discursado para os manifestantes, em frente às portas de um prédio, afirmando que "pessoas negras e 'trans' estão a liderar o movimento".

Centenas de pessoas participaram na marcha, com bandeiras do orgulho 'gay' e cânticos contra a homofobia e a 'transfobia'.

A marcha era encabeçada por várias pessoas com bicicletas.

Num dos protestos, de acordo com vídeos publicados na rede social Twitter, um polícia caiu da bicicleta enquanto estendia uma mão, parecendo querer agarrar um manifestante. Depois da queda, vários agentes concentraram-se rapidamente num ponto para tentar intimidar manifestantes.

Segundos depois, as imagens mostram seis polícias com equipamentos e capacetes levarem um homem ao chão.

O mesmo parece acontecer em vários outros casos, com um manifestante a ser detido e cercado por vários polícias.

Na praça Union Square, na intersecção com a Quarta Avenida, um vídeo mostra uma grande multidão de polícias e quase nenhum cidadão.

Outra filmagem de apenas alguns segundos mostra uma rua onde os cidadãos estão num lado e os polícias do outro, formando uma frente que se dirige em direção aos manifestantes, com bicicletas para impedir espaços vazios, fazendo os participantes nos protestos encostar-se às paredes.

Várias detenções estavam a ser denunciadas no Twitter.

Pelas 20:00 locais (01:00 em Lisboa), um dos autores dos vídeos escrevia: "passeios estreitos, lixo por todo o lado, andaimes, ciclistas nas calçadas, muitos polícias correndo juntos, podem ver como as coisas podem escalar rapidamente", acrescentando que até ao momento não tinha visto atos violentos.

Em 'tweets' e comentários, os manifestantes acusaram a polícia de iniciar a violência, afirmando que a instituição usa diferentes táticas para dissuadir as pessoas de participar nos protestos, incluindo a detenção "arbitrária" de dezenas de participantes.

Veja, na galeria, as imagens da manifestação. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório