Meteorologia

  • 14 ABRIL 2021
Tempo
17º
MIN 14º MÁX 21º

Edição

Trump insiste na fraude: "Se contarmos os votos legais, ganho facilmente"

O presidente afirma que o "voto por correspondência está a destruir o sistema" eleitoral.

Trump insiste na fraude: "Se contarmos os votos legais, ganho facilmente"

Mais de 24 horas depois de ter comparecido numa conferência de imprensa para declarar vitória nas eleições norte-americanas e falar numa tentativa de fraude no processo de contagem de votos, Donald Trump fez uma nova declaração, na noite desta quinta-feira, e voltou a insistir na ideia de que estão a tentar roubar-lhe o triunfo nas eleições. O presidente não apresentou, no entanto, provas que sustentassem estas afirmações.

"Se contarmos os votos legais, eu ganho facilmente. Se contarmos os votos ilegais, eles vão tentar roubar-nos as eleições", começou por dizer.

Trump criticou ainda os votos por correspondência, que considerou ser um sistema "corrupto" de votação. "O voto por correspondência está a destruir o nosso sistema (...) Corrompe as pessoas mesmo que não sejam corruptas por natureza", fez notar. 

Lançou ainda suspeitas sobre o facto de os votos por correspondência estarem a ser maioritariamente favoráveis a Joe Biden. "É incrível como os votos por correspondência são tão unilaterais", frisou, exemplicando com o ponto de situação da contagem dos votos no estado da Geórgia. 

"Na Geórgia ganhei por uma grande margem. A vantagem diminuiu entretanto" com os votos por correio, referiu Trump, sugerindo que até pode perder a corrida neste estado do sul dos Estados Unidos que, diga-se de passagem, ainda não está fechada. 

No entanto, logo de seguida e de forma contraditória, o presidente sublinhou que está "encaminhado para ganhar no Arizona", estado no qual ainda estão a ser contabilizados os votos por correspondência. 

Apesar das projeções indicarem que Joe Biden está mais próximo de acrescentar um número de votos do colégio eleitoral que lhe permitam chegar à presidência, e que o Partido Democrata vai manter a maioria na Câmara dos Representantes, Trump falou ainda numa ampla vitória republicana. 

"Não houve uma grande onda 'azul', como previam. Isso foi falso, a intenção era suprimir votos. Houve uma grande onda 'vermelha'", salientou, ressalvando que "o Partido Republicano é o partido do trabalhador americano e da inclusão" e que o Partido Democrata é "o partido dos grandes doadores, dos grandes media, das grandes tecnológicas". 

Trump saiu da sala, na Casa Branca, onde decorreu a conferência de imprensa sem responder a perguntas dos jornalistas. 

[Notícia atualizada às 00h25]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório