Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2020
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Eleições nos EUA: 'Juicy' Duncan vence Trump em três 'rounds'

Para o jovem "campeão" de boxe de Louisville Demontaze 'Juicy' Duncan na política como no pugilismo só pode haver um vencedor e um derrotado e, por isso, está em "combate" contra Donald Trump.

Eleições nos EUA: 'Juicy' Duncan vence Trump em três 'rounds'

Antes dos treinos 'Juicy' Duncan, que já venceu cinco vezes o título "Golden Glove" ("Luva de Ouro"), competição regional de boxe dos Estados do Kentucky, Indiana, West Virginia e Ohio, começa os dias a fazer campanha pelo Partido Democrata, em Louisville.

Como voluntário junta-se às filas de outros ativistas do Estado do Kentucky a quem lhes é fornecido um telemóvel com uma aplicação que indica as moradas dos eleitores registados no Partido Democrata de uma determinada zona.

O trabalho político é bater à porta de cerca de 200 casas por dia e garantir a "promessa" de que os eleitores democratas - que ainda não votaram -- "vão mesmo" dirigir-se às assembleias de voto nos próximos dias.

"Este é o primeiro 'round' para 'bater' Donald Trump", diz 'Juicy' Duncan antes de começar a percorrer o subúrbio de classe média de Middletowon, arredores de Louisville, habitado maioritariamente por brancos, mas onde vivem também muitos afro-americanos.

Depois de garantir o voto do eleitor que abre a porta, o pugilista marca no telemóvel a intenção de voto e envia a informação para uma central de dados que serve para efetuar "mais uma sondagem" sobre as presidenciais da próxima terça-feira.

Cada vez que consegue uma resposta afirmativa 'Juicy' Duncan cerra o punho em gesto de vitória e segue para outra casa com aquela estranha forma de andar dos pugilistas que mexem os ombros e a cabeça lentamente de cada vez que põem um pé no chão.

O Kentucky é o Estado de Mitch McConnell, o senador mais antigo dos Estados Unidos, em funções, sendo que Donald Trump tem uma vantagem de quase 30% sobre Joe Biden a nível estadual, para as presidenciais de 03 de novembro.

"Aqui em Louisville, Estado do Kentucky, vivemos dias complicados depois da morte de Breonna Taylor, abatida pela polícia e o 'pessoal negro' está descontente", explica 'Juicy' Duncan.

O segundo 'round' de acordo com o campeão de boxe é "não esquecer" a questão do racismo e a "violência" contra a comunidade afro-americana que representa cerca de 30% da população da cidade de Louisville.

O pugilista de 18 anos prepara-se para vencer o título nacional de boxe na categoria de super-médios no campeonato que vai decorrer no Estado de Louisianna (USA National Championship), no sul do país, entre os próximos dias 05 e 12 de dezembro.

Entretanto, o combate é político e o último 'round' trava-se na próxima terça-feira, "a nível nacional".

"Na política combate-se de outra forma, mas como no boxe não há meio termo e (Donald) Trump tem de perder. Bastavam-me três 'rounds'", ironiza o atleta sem explicar a tática e virando as costas para seguir para outra casa como se estivesse a entrar num ringue.

Faltam-lhe ainda centenas de combates, "casa a casa", em Louisville, até ao fim do dia de terça-feira, de telemóvel na mão.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório