Meteorologia

  • 23 NOVEMBRO 2020
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 18º

Edição

Turquia condena "veementemente" ataque "selvagem" de Nice

A Turquia condenou hoje "veementemente" o ataque "selvagem" à facada que causou pelo menos três mortos em Nice, no sudeste de França, pondo de lado as tensões entre Ancara e Paris para exprimir a sua "solidariedade".

 Turquia condena "veementemente" ataque "selvagem" de Nice
Notícias ao Minuto

12:39 - 29/10/20 por Lusa

Mundo França

"Condenamos veementemente o ataque que foi cometido hoje no interior da igreja de Notre-Dame de Nice (...) e apresentamos as nossas condolências aos familiares das vítimas", indicou o Ministério dos Negócios Estrangeiros turco num comunicado.

"É claro que os que cometeram um ataque tão selvagem num local de culto sagrado não podem inspirar-se em qualquer valor religioso, humano ou moral", adiantou, exprimindo a sua "solidariedade com o povo francês face ao terrorismo e à violência".

A alguns dias da festa católica de Todos os Santos, três pessoas foram mortas e pelo menos uma delas degolada, hoje em Nice, num ataque com uma faca na igreja de Notre-Dame.

O autor do ataque, investigado como um ato terrorista, foi detido. O homem gritou "Allah Akbar (Deus é grande em árabe) enquanto executava o ato, segundo uma fonte próxima da investigação.

O ataque acontece praticamente duas semanas após o assassínio do professor Samuel Paty, degolado por um extremista islâmico nos arredores de Paris depois de ter mostrado caricaturas do profeta Maomé numa aula sobre liberdade de expressão.

Numa cerimónia de homenagem ao professor, o Presidente Emmanuel Macron defendeu a liberdade de expressão e o direito de divulgar caricaturas, incluindo de Maomé, suscitado uma vaga de cólera no mundo muçulmano, onde se têm multiplicado os apelos ao boicote dos produtos franceses e os protestos.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, atacou com violência Macron nos últimos dias, acusando-o de dirigir uma "campanha de ódio" contra o islão e questionando o estado da sua "saúde mental".

Em reação, a França chamou o seu embaixador em Ancara.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório