Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2020
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 18º

Edição

Acordo sobre pacote de estímulo à economia dos EUA sem avanços

A poucos dias das presidenciais norte-americanas, as negociações entre democratas e a Casa Branca sobre um pacote de estímulo à economia dos Estados Unidos estão num impasse e um acordo político parece quase improvável.

Acordo sobre pacote de estímulo à economia dos EUA sem avanços
Notícias ao Minuto

22:45 - 26/10/20 por Lusa

Mundo EUA

A presidente da Câmara dos Representantes (câmara baixa do Congresso norte-americano), a democrata Nancy Pelosi, e o secretário do Tesouro da administração republicana norte-americana, Steven Mnuchin, mantiveram hoje uma conversa telefónica durante 52 minutos, mas sem grandes avanços, indicaram as agências internacionais.

Apesar das conversações políticas ainda prosseguirem, a perspetiva de não existir um consenso sobre um plano de apoio à economia dos Estados Unidos da América (EUA) em plena crise pandémica já está a agitar os mercados financeiros norte-americanos.

A bolsa nova-iorquina fechou hoje em forte queda, com o índice seletivo Dow Jones Industrial Average a recuar 2,29%, para os 27.685,38 pontos, na que é a sua queda mais forte desde o início de setembro.

"Numa altura em que a nação regista um número recorde de novos casos de covid-19, continuamos à espera de que a administração [liderada pelo Presidente Donald Trump] aceite a nossa proposta sobre um plano sanitário, que inclui um roteiro nacional para testes e rastreamento", escreveu na rede social Twitter o porta-voz de Nancy Pelosi, Drew Hammill.

O porta-voz assegurou, porém, que a líder da maioria democrata na Câmara dos Representantes continua "otimista quanto à possibilidade de se alcançar um acordo antes das eleições" presidenciais, agendadas para 03 de novembro.

Por sua vez, o principal conselheiro económico da Casa Branca, Larry Kudlow, preferiu manter uma posição mais conservadora e menos otimista, indicando, em declarações ao canal especializado em informação financeira CNBC, que as "discussões claramente abrandaram", mas que "ainda não acabaram".

"Não quero fazer previsões", acrescentou o conselheiro económico da administração Trump.

Mesmo que seja alcançado um acordo nos próximos dias, um plano desta envergadura exigiria várias semanas ou mesmo meses para ser acionado, de forma a fornecer ajuda concreta às empresas e famílias norte-americanas em dificuldades devido à pandemia da doença covid-19.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (225.239) e também com mais casos de infeção pelo novo coronavírus confirmados (mais de 8,6 milhões).

"O grande problema é que, embora estejamos próximos, ainda existem grandes diferenças entre nós", acrescentou um assessor da Casa Branca, citado pela agência France Presse (AFP), defendendo que os democratas "deveriam fazer mais concessões".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório