Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2020
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

Navalny: Moscovo acusa Berlim de "recusar categoricamente" em cooperar

A Rússia acusou hoje a Alemanha de "recusar categoricamente" em cooperar nas investigações da polícia russa sobre o presumível envenenamento do opositor Alexei Navalny, que esteve hospitalizado em Berlim, uma versão que Moscovo continua a contestar.

Navalny: Moscovo acusa Berlim de "recusar categoricamente" em cooperar
Notícias ao Minuto

19:52 - 25/09/20 por Lusa

Mundo Alexey Navalny

Em agosto, a polícia russa declarou ter desencadeado investigações preliminares após a hospitalização de Navalny na Sibéria, recusando abrir um inquérito criminal oficial ao referir não dispor de elementos suficientes que sustentassem a tese do envenenamento, e que era paralelamente confirmado por três laboratórios europeus.

A polícia e o procurador russo afirmaram ter enviado os pedidos de assistência jurídica à Alemanha, França e Suécia, onde se situam os três laboratórios, mas ficaram "sem resposta".

"Recebemos uma recusa categórica do Governo alemão de cooperar para estabelecer a verdade sobre a situação de Alexei Navalny", afirmou em comunicado o ministério dos Negócios Estrangeiros russo, acusando Berlim de ter "desencadeado uma vasta campanha para acusar as autoridades russas de terem pretensamente envenenado" o principal opositor do Kremlin.

Ao contrário das suas obrigações (...) o Governo alemão opôs-se ativamente ao controlo prévio ao inquérito sobre este incidente e que foi efetuado na Rússia", prossegue o texto.

Pelo contrário, os aliados de Alexei Navalny acusam as autoridades russas de dificultar os procedimentos desencadeados pela polícia, com o objetivo de impedir um inquérito criminal.

Militante anticorrupção e fervoroso crítico do Kremlin, Alxei Navalny adoeceu gravemente em 20 de agosto a bordo de um avião na Sibéria.

Três laboratórios europeus concluíram que foi envenenado por um agente neurotóxico do tipo Novitchok, concebido para fins militares na época soviética. As acusações foram rejeitadas por Moscovo.

O opositor saiu na terça-feira do hospital de Charité em Berlim, onde recebeu tratamento durante um mês. De momento permanece na Alemanha em período de convalescença.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório