Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2021
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 20º

Edição

Forças egípcias mataram 77 "radicais" islâmicos no último mês no Sinai

As forças de segurança egípcias mataram 77 elementos "radicais" islâmicos em várias operações levadas a cabo desde 22 de julho na província do Sinai do Norte, informou hoje o porta-voz do Exército, Tamer al Refai.

Forças egípcias mataram 77 "radicais" islâmicos no último mês no Sinai
Notícias ao Minuto

23:42 - 30/08/20 por Lusa

Mundo Egito

O porta-voz militar explicou, em comunicado, que a maioria dos "elementos radicais" islâmicos que se escondiam em "abrigos" na região, foram eliminados durante as ofensivas nesta província da conturbada península do Sinai.

Outras operações "específicas" resultaram na morte de dois elementos radicais "muito perigosos" que carregavam duas armas automáticas, cinco cartuchos e um cinto explosivo, e de outros dois indivíduos.

Um quinto elemento radical ficou ferido e está a receber tratamento no Hospital das Forças Armadas, onde está a ser interrogado.

"Foram destruídos 317 esconderijos, abrigos e depósitos de material explosivo no Sinai do Norte, que elementos terroristas usam como esconderijos e para armazenarem armas e munições", afirmou Al Refai.

Durante os conflitos no nordeste do Egito e na fronteira oeste, morreram e ficaram feridos três oficiais e quatro soldados egípcios, segundo o porta-voz, que não ofereceu mais detalhes.

Na península do Sinai, a polícia e Exército enfrentam há anos insurgentes que se tornaram fortes nessa zona desértica e tradicionalmente marginalizada e subdesenvolvida.

Desde o golpe de julho de 2013 contra o Presidente islâmico Mohamed Mursi, os ataques aumentaram contra seguranças e membros do sistema judiciário e do Governo do Egito.

Em fevereiro de 2018, as autoridades lançaram uma operação em grande escala contra militantes islâmicos extremistas, com foco no norte do Sinai, filiados localmente no autoproclamado Estado Islâmico.

Desde então, cerca de 939 supostos militantes islâmicos extremistas foram mortos, assim como dezenas de membros das forças de segurança, de acordo com as estatísticas do Exército.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório