Meteorologia

  • 26 SETEMBRO 2020
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 23º

Edição

Bielorrússia. Oposição apela a "massivas manifestações" no fim de semana

A candidata da oposição às presidências na Bielorrússia, Svetlana Tikhanovskaia, apelou hoje à realização de "massivas manifestações pacíficas" em todo o país durante o fim de semana.

Bielorrússia. Oposição apela a "massivas manifestações" no fim de semana

Svetlana Tikhanovskaia que se encontra refugiada na capital da Lituânia disse através de um vídeo difundido hoje através da internet que os protestos "pacíficos" durante os próximos dois dias devem denunciar a violenta repressão que atinge a oposição desde o passado domingo.  

"Peço a todos os autarcas para organizarem nos dias 15 e 16 de agosto 'massivas' concentrações pacíficas em cada uma das cidades da Bielorrússia", refere o apelo da dirigente da oposição ao regime de Minsk.

"Os bielorrussos não querem continuar a viver com o poder anterior. A maioria não acredita na vitória (de Lukashenko)", disse ainda Tikhanovskaia.

A dirigente da oposição acrescentou que nas assembleias de voto onde a "contagem foi justa" ela obteve entre 60% e 70% dos votos. 

O apelo de Svetlana Tikhanovskaia ocorre na mesma altura em que a presidente da Comissão Europeia propõe a aplicação de sanções ao regime de Minsk.

"Precisamos de sanções adicionais contra aqueles que violaram valores democráticos ou abusaram de direitos humanos na Bielorrússia", escreveu Von der Leyen, na rede social Twitter.

"Estou confiante de que a reunião de hoje dos ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia demonstre o nosso forte apoio ao direito das pessoas na Bielorrússia às liberdades fundamentais e à democracia", acrescentou.

Segundo a Comissão Eleitoral Central bielorrussa, o Presidente, Alexander Lukashenko, no poder desde 1994, obteve 80,23% dos votos, que lhe permite cumprir um sexto mandato presidencial consecutivo, um resultado rejeitado pela oposição.

A principal candidata da oposição, Sviatlana Tsikhanouskaya, cujas ações de campanha atraíram multidões de eleitores frustrados com o governo autoritário de 26 anos de Lukashenko, terá obtido apenas 10% dos votos, tendo-se refugiado entretanto na Lituânia.

Os resultados das eleições motivaram manifestações em todo o país que, segundo o Ministério do Interior da Bielorrússia, levaram à detenção de sete mil pessoas desde domingo.

A oposição ao regime exige o fim da repressão, a libertação dos presos políticos e a repetição das eleições presidenciais que diz terem sido marcadas por fraudes e irregularidades. 

Hoje, os manifestantes bielorrussos voltaram a organizar manifestações pacíficas em várias cidades do país e os trabalhadores de várias fábricas iniciaram greves em solidariedade para com os detidos.  

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório