Meteorologia

  • 26 SETEMBRO 2020
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 23º

Edição

Austrália: Polícia acusado de asfixiar mulher que não usava máscara

O vídeo da detenção da mulher foi publicado nas redes sociais e está a gerar polémica. Caso está a ser investigado pelas autoridades.

Um vídeo da detenção de uma mulher que não estava a usar máscara numa rua de Melbourne, na Austrália, está a gerar controvérsia. Um dos polícias envolvidos na detenção está a ser acusado de asfixiar a mulher de 21 anos, adianta o Yahoo News Australia. O vídeo foi publicado nas redes sociais e começou a ser amplamente partilhado.

Melbourne é uma cidade de Victoria, o estado australiano que está a ser muito afetado por um surto de coronavírus. Nesta altura, Melbourne está no nível quatro de quarentena, o que significa que as pessoas são obrigadas a usar máscara em locais públicos.

Esta segunda-feira, quando uma patrulha da polícia de Melbourne percorria uma das ruas do subúrbio de Collingwood, os agentes viram uma mulher sem máscara.

“Os polícias tomaram a decisão de deter a mulher depois de ela não se ter identificado e se ter recusado a dar a sua morada”, revelou num comunicado a polícia de Victoria, acrescentando que a mulher não apresentou nenhuma justificação para não estar a usar máscara.

Seguiu-se um confronto físico entre a mulher e os dois agentes da polícia. Foi nessa altura que um deles colocou as mãos em volta do pescoço da jovem de 21 anos. Nas imagens pode-se ouvir a mulher a dizer “Ele está a asfixiar-me”.

Quando a outra agente se tentou aproximar, a mulher pontapeou-a. O agente que tinha as mãos em volta do pescoço da mulher subjugou-a e colocou-a no chão. Algumas pessoas que assistiam à cena disseram ao polícia para “sair de cima” da mulher e uma dessas pessoas gritou que o agente da polícia estava a asfixiá-la.

Posteriormente, mais polícias chegaram ao local e a mulher foi levada para uma esquadra. Foi acusada de oferecer resistência à sua detenção e de agredir os polícias.

O comportamento do agente que deteve a mulher está agora a ser investigado pelas autoridades.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório