Meteorologia

  • 02 JUNHO 2020
Tempo
23º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

Parlamento Europeu alerta para "perigo da desinformação" na democracia

O Parlamento Europeu alertou hoje para os "perigos da desinformação" sobre a covid-19 na democracia, considerando que a proliferação de notícias falsas "dificulta os esforços" das instituições e dos países comunitários para conter o surto.

Parlamento Europeu alerta para "perigo da desinformação" na democracia

Quando se assinala o Dia Internacional da Verificação de Factos, a assembleia europeia alerta hoje em comunicado para os "perigos da desinformação, tanto para a saúde como para a democracia", nomeadamente na União Europeia (UE).

"O surto de coronavírus levou à disseminação de notícias falsas e desinformação, o que dificulta os esforços para conter a pandemia", realça o Parlamento Europeu, notando que, "enquanto algumas pessoas trabalham dia e noite para salvar vidas devido à covid-19, organizações de saúde e verificadores de factos desvendaram outro lado negro da pandemia", o das 'fake news'.

Segundo a assembleia europeia, "algumas organizações e indivíduos estão a tirar proveito da crise para a manipulação política ou comercial", situação que "está a preocupar" as instituições comunitárias.

Citada pela nota de imprensa, a vice-presidente do Parlamento Europeu para a política de informação, Katarina Barley, sublinha a "importância da verificação de factos e de partilhar dicas para poder fazê-lo em todas as línguas".

"Assim como respeitamos o distanciamento social e a lavagem das mãos, temos o dever de travar a difusão de falsos conselhos e histórias manipuladoras", adianta a alemã Katarina Barley.

O também vice-presidente da assembleia europeia para esta pasta, o austríaco Othmar Caras, destaca a necessidade da verificação de factos em altura de crise.

"Não se trata de ser o sabichão que tem prazer em corrigir pessoas que cometem erros, mas é nosso dever cívico proteger-nos a nós próprios e aos nossos entes queridos e à sociedade democrática que criámos", conclui Othmar Caras.

Numa análise publicada na quarta-feira, o grupo de trabalho do Serviço Europeu de Ação Externa da UE contra as 'fake news' denunciou a proliferação de notícias falsas relacionadas com a pandemia da covid-19 que visam, através de um "aproveitamento da crise de saúde pública", promover "interesses geopolíticos.

Segundo o grupo de trabalho East StratCom, criado em 2015 para combater a desinformação russa, "alguns atores estatais e apoiados pelo Estado procuram aproveitar-se da crise de saúde pública para promover interesses geopolíticos, muitas vezes desafiando diretamente a credibilidade da UE e dos seus parceiros".

Antes, na segunda-feira, a Comissão Europeia publicou ferramentas 'online' para permitir a verificação dos factos relacionados com a pandemia de covid-19 e, assim, combater a desinformação, dado o aumento das notícias falsas na UE sobre questões como máscaras.

A página pode ser acedida em https://ec.europa.eu/info/live-work-travel-eu/health/coronavirus-response/fighting-disinformation_pt.

A pandemia de covid-19 matou quase 48 mil pessoas em todo o mundo desde que a doença surgiu em dezembro na China, num total de mais de 944.030 casos de infeção pelo novo coronavírus.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório