Meteorologia

  • 31 OUTUBRO 2020
Tempo
20º
MIN 14º MÁX 24º

Edição

Puigdemont vai estar a 25 quilómetros da fronteira espanhola em fevereiro

O ex-presidente separatista da região espanhola da Catalunha, Carles Puigdemont, anunciou hoje que se desloca a Perpignan, localidade francesa a 25 quilómetros da fronteira espanhola, a 29 de fevereiro próximo para participar num comício.

Puigdemont vai estar a 25 quilómetros da fronteira espanhola em fevereiro

"No dia 29 de fevereiro, estaremos em Perpignan", disse, através da rede social Twitter, Puigdemont, que deverá assistir nessa cidade francesa ao comício organizado pelo Conselho da República Catalã, uma espécie de governo no exílio com sede em Waterloo (Bélgica), onde vive.

Os ex-conselheiros catalães, membros do antigo Governo regional independentista, Toni Comin (Saúde) e Clara Ponsati (Educação) também vão estar presentes em Perpignan.

Os três fugiram de Espanha no final de 2017, depois da tentativa independentistas da Catalunha, para escapar à Justiça espanhola.

Em Perpignan, "vou-me sentir em casa, caminhar nas terras catalãs da Catalunha do norte", já tinha dito Puigdemont em meados de janeiro.

A concentração, com o lema "A República no centro (do mundo)", terá lugar no dia 29 de Fevereiro ao meio-dia, no Parque das Exposições da cidade do sul da França.

O fugitivo à Justiça espanhola, que se deslocou ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo, na semana passada para ocupar o seu lugar como deputado europeu, tinha anteriormente evitado viajar para França, com medo de ser preso e entregue a Espanha.

A vinte e cinco quilómetros da fronteira franco-espanhola na costa mediterrânica, Perpignan foi a capital da histórica província de Roussilhão, que pertencia ao Reino de Aragão, que também incluía a atual Catalunha.

A Espanha cedeu Roussillon à França em 1659 na sequência do Tratado dos Pirenéus, mas o regionalismo catalão continuou a considerar a região como sendo a "a Catalunha do Norte".

Reconhecidos agora como parlamentares europeus, Puigdemont e Comin gozam de imunidade parlamentar, na sequência de uma decisão do Tribunal de Justiça Europeu, assim como Ponsati, que também vai ocupar um lugar no Parlamento Europeu em fevereiro próximo, depois da saída dos deputados do Reino Unido que abandona a União Europeia.

Entretanto, o Parlamento Europeu anunciou, também na semana passada na sessão plenária de Estrasburgo, que iniciou o processo para examinar o levantamento de imunidade parlamentar de Carles Puigdemont e Toni Comín, conforme foi pedido pela Justiça espanhola.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório