Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2020
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 21º

Edição

Presidente cubano diz que concessões aos EUA "não levariam a lugar algum"

O Presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, disse que não acredita que a administração norte-americana liderada por Donald Trump alguma vez suspendesse as sanções impostas à ilha em troca de concessões do seu Governo.

Presidente cubano diz que concessões aos EUA "não levariam a lugar algum"
Notícias ao Minuto

17:25 - 17/01/20 por Lusa

Mundo Miguel Díaz-Canel

A administração de Trump tem reforçado as sanções contra Cuba nos últimos meses, a fim de privar o Governo comunista da ilha de dinheiro e abastecimento de energia e forçá-lo a terminar o apoio ao Presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

A pressão dos EUA contribuiu para travar o crescimento económico e aumentar a escassez de produtos básicos, incluindo gasolina e gás de cozinha.

Falando aos jornalistas durante uma viagem ao leste de Cuba na noite de quinta-feira, Díaz-Canel afirmou que os cubanos não devem acreditar que a aceitação das exigências dos EUA levaria a melhores condições para a ilha.

"Às vezes, surgem ideias de que, se abandonarmos uma posição ou outra, se abandonarmos a solidariedade e a ajuda (a outros países), as portas se abrirão para nós e isso é uma mentira", referiu Díaz-Canel.

"Não queremos portas abertas para implorar. Queremos portas abertas se houver um diálogo sério" com os Estados Unidos.

Na sua viagem a Las Tunas, no leste de Cuba, Díaz-Canel visitou um hospital e uma escola de arte e reuniu-se com estudantes universitários durante várias horas.

Apesar dos esforços dos EUA para o derrubar, em cooperação com a oposição venezuelana e alguns países da região, o Presidente venezuelano, Nicolas Maduro, não mostra sinais de perder o controlo do poder na Venezuela.

Díaz-Canel disse que Cuba tornou-se um bode expiatório pelas falhas nas políticas dos EUA.

"Os EUA viram a sua situação na América Latina e no mundo a complicar-se devido aos seus próprios excessos e este Governo está a começar a procurar desculpas para explicar os problemas que está a ter na política externa", salientou Díaz-Canel.

O Presidente, que assumiu o cargo em abril de 2018, disse que as suas visitas aos centros provinciais de Cuba com o seu gabinete foram fundamentais para tranquilizar os cubanos que enfrentam problemas económicos e escassez de bens básicos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório