Meteorologia

  • 25 JANEIRO 2020
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 14º

Edição

Jornalistas e artistas renunciam às posições em instituições do Irão

Vários jornalistas e artistas renunciaram às posições que ocupavam em instituições estatais em sinal de protesto contra o derrube, por engano, do avião ucraniano que provocou a morte de 176 pessoas e uma onda de descontentamento popular no Irão.

Jornalistas e artistas renunciam às posições em instituições do Irão
Notícias ao Minuto

12:08 - 16/01/20 por Lusa

Mundo Irão

Segundo a agência de notícias EFE, o fluxo de demissões começou no último sábado, dia em que as Forças Armadas iranianas reconheceram que dispararam um míssil sobre o Boeing 737 da companhia aérea Ukranian Internacional Airlines (UIA), causando a morte de todos os seus ocupantes.

Entre os jornalistas, pelo menos três apresentadoras da televisão estatal iraniana IRIB apresentaram a demissão nos últimos dias: Gelare Jabbari, Zahra Khatami e Saba Rad.

Gelare Jabbari, de 31 anos e com mais de uma década como colaboradora, repórter e apresentadora dos canais 1 e 2 com programas sociais como "Bom dia Irão", explicou hoje à agência de notícias EFE que perceberam que "trabalhar na televisão (estatal) vai contra os interesses do povo".

"É como se não estivéssemos ao lado da população e estivéssemos a mentir, já que no assunto do ataque ao avião mentiu-se", disse a jornalista, acrescentando que já antes estavam conscientes de que as informações iam "contra" às suas opiniões pessoais, mas a catástrofe aérea foi a gota final.

A apresentadora postou uma mensagem no Instagram pedindo perdão por mentir durante 13 anos, e dizendo que a televisão estatal "não era honesta", numa mensagem que acabou por remover pouco tempo depois para evitar problemas com as autoridades..

Por outro lado, a apresentadora Zahra Khatami enfatizou ao anunciar a sua demissão que "nunca" voltará à televisão e Saba Rad disse que não poderia continuar nessa situação de trabalho, depois de 21 anos como jornalista.

Além dos jornalistas, um grupo de cineastas cancelou a sua participação no importante festival Fajr, também como sinal de dissidência.

Este festival oficial, com vários setores artísticos, começa no próximo mês, e comemora todos os anos o aniversário do triunfo da Revolução Islâmica de 1979.

O descontentamento da população resultou em vários dias de protestos, principalmente nas universidades.

Nas redes sociais, muitos iranianos também publicaram mensagens de luto e protesto ou as imagens dos mortos no desastre aéreo, muitos deles iranianos.

Além disso, circulam imagens com o número 174 mais dois anéis de casamento, aludindo a um casal recém-casado que morreu no acidente, ou 175 mais um sapato de criança, em referência a um dos menores falecidos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório