Meteorologia

  • 08 ABRIL 2020
Tempo
21º
MIN 13º MÁX 21º

Edição

"O povo americano deve estar feliz, nenhum americano foi ferido"

O presidente dos Estados Unidos dirigiu-se à nação na sequência dos ataques de mísseis balísticos lançados pelo Irão contra bases militares que albergam soldados norte-americanos no Iraque.

"O povo americano deve estar feliz, nenhum americano foi ferido"

Donald Trump falou à nação pela primeira vez depois da resposta de Teerão, durante a madrugada de quarta-feira, à morte do general iraniano Qassem Soleimani, na passada sexta-feira, em Bagdad. O presidente norte-americano já tinha reagido através das redes sociais escrevendo que "está tudo bem", mas ainda não tinha feito uma declaração pública.

Durante o seu discurso, e embora tenha surgido ladeado pelas altas patentes militares e pelo vice-presidente, Donald Trump não enveredou por qualquer resposta militar, falando apenas na imposição de novas sanções.

O líder republicano começou, porém, por dizer que não havia qualquer vítima mortal ou ferido em resultado do ataque, contrariando as alegações da televisão iraniana.

Acompanhe abaixo as principais declarações, feitas a partir da Casa Branca:

"Enquanto eu for presidente dos EUA o Irão nunca irá ter armas nucleares", começou por dizer Donald Trump.

"Tenho o prazer de informar que o povo americano deve estar extremamente agradecido e feliz. Nenhum americano foi ferido pelo regime iraniano, no ataque de ontem à noite. Não sofremos baixas. Todos os nossos soldados estão seguros e há apenas danos residuais nas nossas bases".

"O Irão parece estar a recuar, o que é bom para todas as partes envolvidas e muito bom para o Mundo".

O presidente explicou que Qassem Soleimani "treinou exércitos terroristas, incluindo o Hezbollah, lançou ataques terroristas contra alvos civis. (...) Assassinou e feriou violentamente milhares de tropas americanas, incluindo com a colocação de bombas que desmembram as vítimas". 

"Recentemente, ele estava a planear novos ataques contra alvos americanos, mas nós parámo-lo".

"Enquanto continuamos a avaliar opções de resposta à agressão iraniana, os Estados Unidos vão impôr imediatamente novas e severas sanções económicas ao regime iraniano". "Estas poderosas sanções vão permanecer até o Irão mudar de comportamento", disse, acrescentando que "nos últimos meses, o Irão apreendeu navios em águas internacionais, lançou um ataque não provocado sobre a Arábia Saudita e abateu dois drones americanos".

"Somos agora o produtor número 1 de petróleo e gás natural em qualquer parte do mundo. Somos independentes e não precisamos do petróleo do Médio Oriente".

"Finalmente, para as pessoas e para os líderes do Irão: queremos que tenham um futuro e um grande futuro, um que vocês mereçam. Um futuro de prosperidade interna e de harmonia com todas as nações do mundo".

"Os Estados Unidos estão preparados para chegar à paz com quem a procurar".

Sublinhe-se que, na madrugada desta quarta-feira, o Irão levou a cabo ataques de mísseis balísticos às bases militares iraquianas de Ain al Asad e Erbil, que albergam soldados norte-americanos. Esta foi a primeira resposta de Teerão à morte do general Qassem Soleimani, abatido numa operação norte-americana na passada sexta-feira, perto do aeroporto de Bagdad.

A Guarda Revolucionária iraniana, que reivindicou a autoria do ataque, ameaçou esta quarta-feira, de acordo com a CNN, que se houver resposta irá atacar “no interior dos EUA”, “Israel” e “aliados dos EUA”.

Os Estados Unidos não confirmaram a existência de vítimas mortais, embora a televisão iraniana tenha alegado que a operação - a que chamaram 'Mártir Soleimani' - matou "pelo menos 80 militares norte-americanos".

[Notícia atualizada às 16h53]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório