Meteorologia

  • 22 JANEIRO 2020
Tempo
MIN 7º MÁX 13º

Edição

Vladimir Putin felicita Boris Johnson pela vitória nas eleições

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, considerou hoje que um diálogo construtivo com o Reino Unido responderia aos interesses de ambos os países e também felicitou Boris Johnson pela vitória dos Conservadores britânicos nas eleições legislativa de quinta-feira.

Vladimir Putin felicita Boris Johnson pela vitória nas eleições

"Estou certo de que o desenvolvimento de um diálogo construtivo e uma interação completa em vários campos responderia aos interesses dos povos dos nossos países e de todo o continente europeu", disse Putin num telegrama de felicitações a Johnson, publicado na página de Internet do Kremlin.

"Desejo-lhe sucesso num trabalho de tanta responsabilidade a frente do Governo, bem como boa saúde e bem-estar", acrescentou o Presidente russo.

Antes da mensagem de Putin, o porta-voz presidencial, Dmitri Peskov, tinha dito que o Kremlin havia "tomado nota" da vitória dos Conservadores no Reino Unido.

"Nós esperamos sempre que as forças políticas que vençam eleições, independentemente do país, juntem-se ao diálogo e concentrem-se na construção de boas relações com o nosso país. Mas, não sei até que ponto estas expectativas são apropriadas no caso dos Conservadores britânicos, disse o porta-voz do Kremlin.

As relações entre a Rússia e o Reino Unido estão tensas há anos e pioraram drasticamente após o assassínio em Londres, em 2006, do ex-espião russo Alexandr Litvinenko, um crítico feroz do Kremlin.

No início de 2018, a tentativa de envenenamento com uma substância química de uso militar de outro ex-espião russo, Sergey Skripal - que também afetou a sua filha -, foi realizada, segundo a Justiça britânica, por dois agentes dos serviços militares de informação russos, agravaram ainda mais as tensões entre os dois países.

Além disso, há uma suposta interferência da Rússia nos processos democráticos no Reino Unido.

Está pendente de publicação um relatório, segundo o jornal The Guardian, que analisou alegações de que a Rússia interferiu na campanha antes do referendo relativo à saída da UE ('Brexit') em 2016.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório