Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 7º MÁX 15º

Edição

Ucrânia: Reunião entre líderes russo e ucraniano pode ser "construtiva"

O Kremlin espera que a reunião de segunda-feira, em Paris, entre os presidentes da Rússia e da Ucrânia, sirva para dar início a uma comunicação "construtiva" que permita resolver o conflito armado no leste da Ucrânia.

Ucrânia: Reunião entre líderes russo e ucraniano pode ser "construtiva"
Notícias ao Minuto

15:12 - 10/12/19 por Lusa

Mundo Kremlin

"Ontem [segunda-feira], tivemos uma conversa bastante construtiva. Foi o primeiro encontro entre os dois presidentes e foi pragmático, bastante franco e os dois lados apresentaram diretamente as suas posições e divergências relativamente a várias questões", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Os dois presidentes - Vladimir Putin, da Rússia, e Volodymyr Zelenskiy, da Ucrânia -, reuniram-se à margem da cimeira de líderes do Quarteto da Normandia - França, Alemanha, Ucrânia e Rússia, que visa encontrar soluções para o problema da Ucrânia -- e estiveram cerca de 15 minutos sozinhos no Palácio do Eliseu.

À saída da reunião, Putin admitiu à comunicação social estar "satisfeito" e disse que "tudo tinha corrido bem".

Esta foi a primeira vez que Putin e Zelenskiy se reuniram desde que este assumiu a Presidência da Ucrânia, em maio, e o primeiro encontro entre presidentes ucraniano e russo desde outubro de 2016, quando decorreu, em Berlim, a última cimeira do Quarteto da Normandia.

Na altura, o Presidente russo não manteve um bom relacionamento com Petro Poroshenko, antecessor do atual chefe de Estado da Ucrânia.

"Esperamos que esta conversa seja uma boa continuação da relação telefónica que já mantínhamos, e que sirva como começo de uma comunicação construtiva e como forma de resolver os complicados problemas que Moscovo e Kiev enfrentam, tanto em termos de cooperação como de relações bilaterais no que concerne a um acordo no sudeste da Ucrânia", disse Peskov.

Os dois líderes conversaram quatro vezes por telefone, conseguindo, em setembro, acordar na primeira troca de prisioneiros entre a Rússia e a Ucrânia desde o início da guerra, em 2014, e, em novembro, na devolução de três navios da Marinha ucraniana arrestados num incidente naval em 2018 no Mar Negro.

Entre os pontos abordados na segunda-feira em Paris, está precisamente outra troca de prisioneiros até ao final do ano, que pode ocorrer no dia 24, disse Zelenskiy à imprensa ucraniana no final da cimeira.

Com esta troca, Kiev espera que 72 detidos pelos rebeldes pró-russos em Donetsk e Lugansk possam voltar para casa, indicou.

A reunião serviu também para combinar uma nova retirada de tropas e equipamentos militares em três zonas até ao final de março próximo.

No entanto, os dois líderes, juntamente com o Presidente francês Emmanuel Mácron, e a chanceler alemã, Angela Merkel, não conseguiram aprofundar as diferenças mais difíceis, decidindo adiar para a próxima cimeira, a realizar daqui a quatro meses, questões como a das eleições nos territórios controlados pelos rebeldes pró-russos, o que, para Zelenskiy, implica a recuperação do controlo da fronteira russo-ucraniana.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório