Meteorologia

  • 20 JULHO 2024
Tempo
22º
MIN 20º MÁX 28º

Botsuana enforca prisioneiro após reeleição de Presidente

Um prisioneiro, culpado pela morte do seu patrão, foi enforcado hoje numa prisão de Gabarone, na primeira execução de um condenado à morte no Botsuana após a reeleição do Presidente Mokgweetsi Masisi em outubro, foi hoje anunciado.

Botsuana enforca prisioneiro após reeleição de Presidente
Notícias ao Minuto

10:42 - 02/12/19 por Lusa

Mundo Botsuana

Mooketsi Kgosibodiba foi considerado culpado, em 2017, pela morte do seu patrão, em 2012, no Botsuana e condenado à morte, recorreu da sentença, mas viu o recuso rejeitado em 2018.

"A pena de morte de Mooketsi Kgosibodiba, 44 anos, (...) foi executada hoje às primeiras horas da manhã na prisão central de Gaborone", adiantaram os serviços penitenciários em comunicado.

Trata-se da primeira execução desde as eleições presidenciais de outubro, que reelegeram para novo mandato de cinco anos Mokgweetsi Masisi, do Partido Democrático do Botsuana, formação no poder desde a independência do país em 1966.

As duas execuções anteriores remontam a 2018.

Em outubro, na véspera da tomada de posse do Presidente, a organização Amnistia Internacional tinha a apelado a Mokgweetsi Masisi para que tornasse a abolição da pena de morte como "a sua prioridade número 1".

"A justiça não se consegue executando pessoas e o mundo está a afastar-se dessa forma abjeta e degradante de punição", considerou a AI em comunicado.

"Não há lugar para a pena de morte num país como o Botsuana, que tem desempenhado um importante papel de liderança em questões políticas difíceis, denunciando as violações dos direitos humanos no continente africano", acrescentou a organização.

Segundo a AI, o Botsuana é o único país da África Austral que continua a aplicar regularmente a pena de morte.

Recomendados para si

;
Campo obrigatório