Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2020
Tempo
13º
MIN 6º MÁX 13º

Edição

Segunda volta das presidenciais na Tunísia confirmada para 13 de outubro

A instância eleitoral tunisina (Isie) confirmou hoje que a segunda volta das eleições presidenciais vai decorrer a 13 de outubro após os apelos para o adiamento do escrutínio pelo partido do candidato que está detido desde agosto.

Segunda volta das presidenciais na Tunísia confirmada para 13 de outubro

A Isie anunciou que a campanha eleitoral se inicia na quinta-feira para esta segunda volta que opõe o universitário independente Kais Saied e o empresário e magnate dos 'media' Nabil Karoui, perseguido por fraude fiscal e branqueamento de dinheiro.

"A Isie não pode avançar nem recuar na data das eleições devido à Constituição", declarou aos 'media' o presidente da instância, Nabil Baffoun.

O porta-voz de Nabil Karoiu, em prisão preventiva desde 23 de agosto, apelou na terça-feira à suspensão da segunda volta enquanto o candidato permanecer detido, mas o Tribunal de Apelo de Tunes rejeitou este novo pedido de libertação de Karoui.

A Isie, e ainda numerosos responsáveis políticos e observadores internacionais, tinham apelado a uma igualdade de oportunidades entre os dois candidatos à segunda volta.

"Efetuámos todos os esforços possíveis para garantir a igualdade de oportunidades", afirmou hoje Nabil Baffoun.

"Enviámos missivas ao ministério da Justiça, ao procurador-geral e mesmo ao juiz responsável pelo caso, para que permitissem a Nabil Karoui exprimir-se livremente nos media, e mesmo que o libertassem", declarou.

Apesar de o procurador considerar que as suspeitas são "sólidas", a detenção de Karoui dez dias antes do início da campanha para a primeira volta das presidenciais suscitou interrogações sobre uma instrumentalização da justiça pela política.

Karoui acusou o primeiro-ministro, Youssef Chahed, um dos candidatos derrotados na primeira volta em 15 de setembro, que desmentiu qualquer envolvimento na sua detenção.

Em julho, antes de ser detido, o juiz de instrução decretou o congelamento dos bens de Karoui e de seu irmão Ghazi, e a proibição de deixar o país.

Na sequência do apelo às decisões da justiça, a câmara de acusação emitiu um mandado de detenção e Karoui foi detido numa portagem de autoestrada após uma iniciativa eleitoral.

O seu partido, Qalb Tounes (Coração da Tunísia), não precisou o destino de Ghazi Karoui.

A candidatura de Nabil Karoui foi, no entanto, validada pela Isie, e desde então tem promovido a campanha através da Nessma, a televisão que fundou, e de sua mulher Salwa Smaoui.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório