Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2021
Tempo
18º
MIN 9º MÁX 20º

Edição

Rússia culpa EUA pelo fim do Tratado de Desarmamento Nuclear

Chega ao fim um tratado que deu um contributo essencial para aliviar o clima da Guerra Fria.

Rússia culpa EUA pelo fim do Tratado de Desarmamento Nuclear
Notícias ao Minuto

10:22 - 02/08/19 por Lusa

Mundo Kremlin

A Rússia anunciou hoje o fim do Tratado de Desarmamento Nuclear (INF) culpando a "iniciativa" dos Estados Unidos, enquanto se espera que Washington declare oficialmente a saída do acordo alcançado em 1987.

"A 02 de agosto de 2019, por iniciativa norte-americana, termina a validade do tratado assinado no dia 08 de dezembro de 1987 em Washington pela União Soviética e pelos Estados Unidos sobre o fim dos mísseis de médio alcance", refere um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

Anteriormente, a Rússia revelou que propôs aos Estados Unidos uma moratória sobre o fim do tratado.

"Nós propusemos aos Estados Unidos e a outros membros da Aliança Atlântica considerarem a possibilidade do anúncio de uma moratória sobre as armas de médio alcance", afirmava o vice-ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguei Riabkov, numa entrevista difundida hoje pela agência TASS.

Entretanto, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse que "o mundo vai perder um incalculável travão" à guerra nuclear com o expirar do acordo de 1987 entre Washington e Moscovo.

Guterres disse aos jornalistas em Nova Iorque que o INF "é um marco que ajudou a estabilizar a Europa e acabar com a Guerra Fria" e que o fim do acordo "vai incrementar e não reduzir" a ameaça sobre mísseis balísticos.

Assinado em 1987 por Ronald Reagan e Mikhail Gorbachov, então Presidentes dos Estados Unidos e da antiga União Soviética, respetivamente, o tratado INF aboliu o recurso a um conjunto de mísseis de alcance (intermédio) entre os 500 e os 5 mil quilómetros e pôs fim à crise desencadeada na década de 1980 com a instalação dos SS-20 soviéticos, visando capitais ocidentais.

Em finais de outubro de 2018, o Presidente norte-americano, Donald Trump, acusou a Rússia de não respeitar os termos do tratado e ameaçou então sair deste acordo histórico.

Após ultimatos, Washington acabaria por decidir sair do INF, afirmando que a Rússia tinha infringido as regras do tratado com o desenvolvimento de um novo sistema de mísseis: o novo míssil terrestre russo 9M729, capaz de transportar uma ogiva nuclear e com um alcance superior a 500 quilómetros.

Em reação, Moscovo replicou e denunciou "acusações imaginárias" por parte dos Estados Unidos para justificar a saída do acordo.

O prazo para a Rússia destruir os mísseis termina hoje.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório