Meteorologia

  • 19 MAIO 2019
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 21º

Edição

Trump pede ao Uganda que encontre raptores de turista norte-americana

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apelou hoje às autoridades ugandesas para que encontrem os raptores de uma turista norte-americana, raptada num parque nacional do Uganda e, entretanto, libertada.

Trump pede ao Uganda que encontre raptores de turista norte-americana
Notícias ao Minuto

20:21 - 08/04/19 por Lusa

Mundo EUA

"O Uganda deve encontrar os raptores da turista americana e do guia para que as pessoas se sintam seguras em ir lá. Levem-nos à Justiça de forma aberta e rápida!", escreveu Donald Trump, na plataforma social Twitter.

Kimberly Sue Endicott e o seu guia, o ugandês Jean Paul Mirenge, tinham sido raptados no Parque Nacional Rainha Isabel no passado dia 2, tendo sido libertados no domingo, cinco dias depois, segundo as autoridades locais.

"Os dois estão bem de saúde e em boas mãos, com a nossa equipa conjunta de segurança", referiram as forças policiais, sem adiantar mais detalhes.

Inicialmente, os relatos apontavam para a existência de um pedido de resgate no valor de 500.000 dólares (444.000 euros).

O porta-voz da polícia ugandesa, Fren Enanga, não acredita que o resgate tenha sido pago, uma informação contrariada por um membro de empresa turística Wild Frontiers Uganda Safaris. A fonte citada pela agência Associated Press refere que Endicott foi libertada, "não resgatada", após o pagamento.

"De outra forma, ela não teria regressado", acrescentou a fonte, que não quis ser identificada.

O Presidente do Uganda, Yoweri Museveni, disse hoje que tinha sido informado pelas forças da ordem sobre a libertação da norte-americana e prometeu acabar com estes "casos de delinquência isolados".

"Porém, quero garantir ao país e aos nossos turistas que o Uganda é um país seguro e que iremos melhorar a segurança dos nossos parques. Venham e desfrutem desta Pérola de África", como é conhecido popularmente este país africano, reforçou Museveni.

Entretanto, todas as zonas fronteiriças da República Democrática do Congo (RDCongo), pois o Parque Nacional Rainha Elizabeth localiza-se junto ao Parque Nacional de Virunga congolês, foram fechadas por uma força conjunta, que incluiu elementos do Exército e guardas florestais.

No Uganda estes sequestros não são habituais, ocorrem com mais frequência na vizinha RDCongo, onde dois turistas britânicos foram sequestrados e uma guarda florestal congolesa foi assassinada, em maio de 2018.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório