Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2019
Tempo
11º
MIN 11º MÁX 18º

Edição

Maior sacrifício de crianças conhecido foi um ritual para parar a chuva

Descoberta arqueológica revelou ossadas de 140 crianças e 200 animais, que foram sacrificados num ritual.

Aquele que será o maior sacrifício humano da América do Sul foi explicado. Ocorrido há mais de 500 anos, no Peru, a civilização Chimú vitimou 140 crianças para pedir aos deuses que as chuvas parassem, de acordo com a investigação que foi conduzida por uma equipa da Universidade Nacional de Trujillo.

A descoberta macabra, de ossadas de 140 crianças e 200 camelídeos, já tinha sido anunciada, mas só agora foi publicado o resultado das investigações ao local, que pode ser consultado na revista Plos One.

Sublinhe-se que os sacrifícios de crianças em rituais funerários ou espirituais eram comuns em civilizações antigas, como por exemplo, os maias e os incas. No entanto, este será o maior sacrifício em massa até agora descoberto na América do Sul.

Os restos datam aproximadamente de 1450, quando a região era dominada pela civilização Chimú. 

A mesma publicação revela que as crianças teriam idades compreendidas entre os 5 e os 14 anos de idade, num ritual que envolveu também o sacrifício de animais camelídeos, como lamas e alpacas. Os cortes encontrados no peito dos cadáveres – no esterno e nas costelas – sugerem que lhes foi retirado o coração.

A escavação arqueológica, com cerca de 700 metros quadrados, atravessou uma espessa camada de lama, o que sugere que o sacrifício aconteceu durante uma tempestade ou inundação, o que leva os investigadores a acreditar que se tratou de um ritual para pedir aos deuses para que as chuvas parassem.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório