Meteorologia

  • 19 FEVEREIRO 2019
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 13º

Edição

Jornalista filipina distinguida pela revista Time detida por difamação

A jornalista filipina Maria Ressa, uma das "personalidades do ano" da revista Time em 2018, foi hoje detida por "difamação cibernética", após a publicação de um artigo em 2012 sobre o empresário Wilfredo Keng.

Jornalista filipina distinguida pela revista Time detida por difamação
Notícias ao Minuto

12:45 - 13/02/19 por Lusa

Mundo Filipinas

Maria Ressa encontrava-se nas instalações do Rappler - um portal de notícias 'online' que adotou uma linha crítica contra a guerra mortal contra as drogas liderada pelo Presidente Rodrigo Duterte - quando agentes do Gabinete Nacional de Investigação entraram para entregar o mandado de prisão, explicou a equipa de redação, nas redes sociais.

Segundo a agência de notícias Efe, a jornalista filipina entregou-se voluntariamente às autoridades, que eventualmente irão impor uma fiança para a jornalista poder ser libertada.

O departamento de Justiça apresentou acusações de "difamação cibernética" contra o portal Rappler, Maria Ressa - diretora do portal de notícias e presidente da corporação Rappler Incorporated - e o jornalista de investigação Reynaldo Santos, por um artigo publicado em maio de 2012.

No passado mês, três procuradores do departamento de Justiça decidiram a favor do empresário Wilfredo Keng, que em outubro de 2017 apresentou uma denúncia pela reportagem de investigação do Rappler, no qual Keng estava alegadamente ligado ao tráfico de drogas e pessoas.

Keng apresentou a queixa, cinco anos após a publicação da reportagem, à Divisão de Crime Cibernético do Gabinete Nacional de Investigação, que rejeitou o caso em fevereiro de 2018 por falta de fundamentos e porque já tinha passado o prazo de um ano para apresentar uma queixa por difamação.

No entanto, o departamento de Justiça reabriu o caso uma semana depois, em março de 2018, com base na teoria da "publicação contínua", uma vez que o artigo ainda se encontrava na rede.

Este não é o único processo judicial que Maria Ressa enfrenta, já que em novembro de 2018 foi emitido um mandado de prisão por cinco alegados crimes de evasão fiscal, acusando tanto o portal Rappler como Maria Ressa.

Ressa evitou a prisão com o pagamento de uma fiança e o caso está a aguardar julgamento.

A jornalista assegurou que os seus compromissos com o fisco estão em ordem e que todas essas acusações contra si e contra os media que dirige são uma perseguição política da administração de Duterte pelos seus artigos críticos da sua gestão.

O Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, não escondeu a sua animosidade em relação a Rappler, que acusou de ser financiado pela CIA, e proibiu em fevereiro de 2018 o acesso ao palácio presidencial a jornalistas deste meio.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório