Meteorologia

  • 18 DEZEMBRO 2018
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 16º

Edição

Eurodeputados manifestam "o mais profundo repúdio" por Bolsonaro

Dezenas de deputados de diferentes grupos políticos do Parlamento Europeu (PE), incluindo portugueses, subscreveram o 'Manifesto Internacional contra o Fascismo no Brasil', expressando "o mais profundo repúdio" pelo candidato de extrema-direita, Jair Bolsonaro.

Eurodeputados manifestam "o mais profundo repúdio" por Bolsonaro
Notícias ao Minuto

13:38 - 16/10/18 por Lusa

Mundo Brasil

"Nós, mulheres e homens de várias partes do mundo comprometidos com a democracia e os direitos humanos, expressamos o mais profundo repúdio ao candidato de extrema-direita, Jair Bolsonaro, que disputa a segunda volta da eleição presidencial no Brasil no próximo 28 de outubro", lê-se no manifesto subscrito, entre outros, pelos eurodeputados comunistas João Ferreira, João Pimenta Lopes e Miguel Viegas, e por Marisa Matias, do Bloco de Esquerda.

Os eurodeputados sublinham que as posições que Bolsonaro tem sustentado ao longo de sua vida pública e nesta campanha eleitoral são "calcadas em valores xenófobos, racistas, misóginos e homofóbicos".

"O candidato de extrema-direita defende abertamente os métodos violentos utilizados pelas ditaduras militares, inclusive torturas e assassinatos. Tais posições atentam contra uma sociedade livre, tolerante e socialmente justa", salientam.

Segundo os membros do PE, a decisão que o povo brasileiro tomará na segunda volta das eleições presidenciais constituirá "uma escolha de transcendental importância entre a liberdade e o pluralismo e o obscurantismo autoritário, com impactos duradouros não só para o Brasil mas para toda a América Latina e Caribe e o mundo".

"Conclamamos as brasileiras e brasileiros a refletirem sobre a gravidade deste momento histórico. Entre a democracia e o fascismo não pode haver neutralidade!", alertam.

Jair Bolsonaro, de 63 anos, lidera as sondagens sobre a segunda volta das presidenciais do Brasil, com 58% das intenções de voto, segundo o Instituto Datafolha, mas é criticado por adotar ideais da extrema-direita e por já ter manifestado admiração pela ditadura militar, regime que governou o Brasil entre os anos de 1964 e 1985.

Esta candidatura também desperta receio porque ao longo da carreira e também desta campanha Bolsonaro fez declarações públicas consideradas machistas, racistas, homofóbicas e de apologia à violência.

A segunda volta das presidenciais do Brasil acontece no dia 28 de outubro.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório