Meteorologia

  • 22 MAIO 2024
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 22º

Menopausa. Cerca de 50% das mulheres em Portugal "assume mal-estar"

É a conclusão de uma investigação feita pelo seguro de saúde Médis.

Menopausa. Cerca de 50% das mulheres em Portugal "assume mal-estar"
Notícias ao Minuto

15:29 - 17/04/24 por Lusa

Lifestyle Menopausa

Cerca de metade das 1,2 milhões mulheres (12% da população) que passa atualmente pelo período da menopausa em Portugal "assume mal-estar" nesta fase, indica uma investigação do seguro de saúde Médis, cujas conclusões foram divulgadas hoje.

Esta é "a maior de todas as fases da saúde da mulher, ocupando, em média, 40% das suas vidas" e "é, também, a fase em que mais sofrem: cerca de metade das mulheres assumem mal-estar nesta fase o que, comparando com o mal-estar exibido na puberdade (20% das mulheres) é um número 140% superior, e comparando com o mal-estar exibido na maternidade (12% das mulheres) é um número 300% superior".

Leia Também: Novo medicamento pode aliviar sintomas da menopausa, revela estudo

A investigação deu continuidade ao estudo, realizado através do projeto Saúdes da Médis e divulgado em 2022, "Saúde e bem-estar das Mulheres, um Potencial a alcançar", aprofundando o tema da menopausa.

Realizado durante "27 meses", o trabalho teve por base "245 entrevistas quantitativas, cinco grupos de referência e quatro conversas aprofundadas com profissionais de saúde", tendo sido entrevistadas 33 mulheres entre os 45 e os 65 anos.

"Vivemos numa sociedade que não está preparada para falar abertamente sobre a menopausa e até a esconde. Isto colide com a necessidade, que ouvimos da boca da maioria das mulheres com quem falámos, que vai precisamente em sentido contrário, ou seja, querem e precisam expor, sem tabus, sintomas, medos e anseios em relação ao tema", alertou Maria Silveira, responsável de Orquestração Estratégica, Ecossistema de Saúde do Grupo Ageas Portugal, ao qual pertence a Médis.

Leia Também: Menopausa precoce. 12 sintomas a que deve prestar atenção

A investigação complementa a classificação médica e científica da menopausa, que a divide em três fases - perimenopausa, menopausa e pós-menopausa -, e "tendo em conta a visão e os sentimentos das mulheres (a subjetividade)" associa quatro "estados de alma" ao processo: desconhecimento, sofrimento, gestão e libertação.

Segundo o estudo, a fase da menopausa é "muito pouco valorizada e falada" também pelos "médicos e profissionais de saúde", apesar de lhe serem associados "mais de 30 sintomas" e de 72% das mulheres entre os 45 e os 60 anos viverem num estado permanente de tensão e 50% afirmarem já ter tido um esgotamento ou depressão.

Por outro lado, o facto de não ser "pensada ou preparada (ao contrário da maternidade e da menstruação), aumenta a dificuldade" na sua gestão.

De acordo com os dados da investigação, 52% das mulheres afirmam estar mal ou medianamente preparadas para lidar com esta fase de vida.

Os "desconfortos mais manifestados" são os afrontamentos (69%), dores nas articulações (49%), suores noturnos e/ou perturbações do sono (48%), ansiedade (45%), secura vaginal (42%) e diminuição da libido (37%).

"A nível profissional, 65% das mulheres que se encontram nesta condição sentem discriminação no local de trabalho e 22% já pensou mudar ou abandonar o seu trabalho".

Leia Também: Saiba como fortalecer os ossos durante a menopausa

Quanto à "libertação", considera-se que, embora seja uma fase pouco falada, deve ser destacada, já que apesar de "alguns dos sintomas poderem durar mais de uma década, a maioria deles acaba por se desvanecer" e "apenas 20% das mulheres dizem ter sintomas há mais de cinco anos".

"A menopausa não é uma doença, mas uma condição. Sendo diferente de mulher para mulher, existem tantas menopausas quantas as mulheres, o que também dificulta", disse Maria Silveira, citada num comunicado sobre a iniciativa de hoje "Dar ouvidos e voz à Menopausa", para divulgar o estudo e que incluiu uma mesa-redonda.

A responsável diz por isso que "ouvir estas mulheres, orientá-las e dar-lhes voz é, em si mesmo, um ótimo 'medicamento', além, claro, de um acompanhamento holístico (ginecologia, psicologia, nutrição, exercício físico)".

Leia Também: Nutricionista revela a dieta que ajuda a atenuar os sintomas de menopausa

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório