Meteorologia

  • 12 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 23º

Torcicolo: Dores no pescoço ou algo mais? Perguntámos a um médico

José Gomes Marinhas, ortopedista e especialista em patologia e cirurgia da coluna na Clínica Espregueira, no Porto, explica ao Lifestyle ao Minuto tudo o que deve saber acerca desta condição dolorosa.

Torcicolo: Dores no pescoço ou algo mais? Perguntámos a um médico

Sente dores insuportáveis no pescoço? Será um torcicolo? Para o ajudar a distinguir uma simples dor de algo mais sério, o Lifestyle ao Minuto falou com José Gomes Marinhas, ortopedista e especialista em patologia e cirurgia da coluna na Clínica Espregueira, no Porto. 

Normalmente, os torcicolos ocorrem "devido a uma contração involuntária ou espasmo muscular em um ou mais músculos do pescoço". Explica ainda que acontecem a qualquer um "independentemente de idade, sexo ou condição física". 

Leia Também: O que é a Síndrome de Münchhausen? Psiquiatra esclarece todas as dúvidas

O que é um torcicolo? 

Um torcicolo, também conhecido como cervicalgia espasmódica, é uma condição dolorosa que afeta os músculos do pescoço. Geralmente, ocorre devido a uma contração involuntária ou espasmo muscular em um ou mais músculos do pescoço, o que pode resultar em dor e limitação de movimento. 

Notícias ao Minuto Trabalha na Clínica Espregueira© José Gomes Marinhas

Como é que acontece? Quais são as causas mais comuns?

Geralmente acontece devido a uma tensão excessiva nos músculos do pescoço, que pode ser causada por várias razões e algumas das causas mais comuns incluem:

  • Má postura: posturas inadequadas durante atividades diárias, como sentar-se em frente ao computador por longos períodos de tempo sem apoio adequado para o pescoço, podem colocar pressão excessiva nos músculos do pescoço e causar torcicolo; 
  • Movimentos bruscos: movimentos súbitos ou rápidos do pescoço, como virar a cabeça de repente podem levar a uma distensão muscular ou espasmo; 
  • Stress e tensão emocional: o stress pode causar tensão muscular em todo o corpo, incluindo os músculos do pescoço, aumentando o risco de torcicolo; 
  • Lesões: lesões físicas, como impactos diretos no pescoço durante acidentes de viação, quedas ou desportos de contacto, podem causar danos aos músculos do pescoço, levando ao torcicolo; 
  • Dormir numa posição inadequada
  • Fadiga muscular: excesso de atividade física ou uso prolongado dos músculos do pescoço, sem descanso adequado, pode levar à fadiga muscular e, consequentemente, ao torcicolo. 

Em que situações devemos procurar ajuda médica? 

Geralmente é recomendado procurar um médico se:

  • A dor persistir por mais de alguns dias, mesmo após o uso de tratamentos caseiros como aplicação de calor, gelo ou analgésicos de venda livre;
  • A dor é acompanhada de sintomas como dormência, formigueiro, fraqueza ou dor que se irradia para os braços ou mãos; 
  • Se houver um acidente, queda ou lesão que causou o torcicolo;
  • A dor é tão intensa que interfere significativamente nas atividades diárias ou no sono.

Nesses casos, um médico pode avaliar a condição, identificar a causa subjacente e recomendar um plano de tratamento adequado.

Manifesta-se durante quanto tempo?

A duração de um torcicolo pode variar dependendo da causa subjacente, da gravidade dos sintomas e do tratamento administrado. Em muitos casos, um torcicolo pode melhorar em poucos dias com medidas simples de autocuidado, como repouso, aplicação de calor ou gelo, alongamentos suaves e uso de analgésicos de venda livre. No entanto, em alguns casos, o torcicolo pode persistir por mais tempo.

Se a condição for causada por tensão muscular leve ou má postura, é possível que o torcicolo melhore significativamente em poucos dias, especialmente com tratamento adequado. No entanto, se a causa subjacente for mais grave, como uma lesão mais séria ou uma condição médica subjacente, o torcicolo pode durar mais tempo e pode exigir intervenção médica mais extensa.

Se o torcicolo persistir por mais de alguns dias, é aconselhável procurar orientação médica para avaliação e tratamento adequados. Em alguns casos, podem ser necessárias terapias adicionais, como fisioterapia, medicamentos prescritos ou outras intervenções médicas, para ajudar a aliviar os sintomas e promover a recuperação.

Leia Também: Stress pode levar a dores no pescoço. Veja como aliviar

É mais frequente num determinado tipo de pessoas? Ou pode acontecer a qualquer um? 

O torcicolo pode ocorrer em qualquer pessoa, independentemente de idade, sexo ou condição física. No entanto, existem alguns fatores que podem aumentar o risco de desenvolver um torcicolo. 

Quais os fatores de risco? 

Os fatores de risco para o desenvolvimento de torcicolo incluem uma variedade de elementos relacionados ao estilo de vida, saúde e atividades diárias. 

  • Má postura; 
  • Stress e tensão emocional;
  • Lesões anteriores no pescoço; 
  • Fatores ocupacionais: certas ocupações que exigem movimentos repetitivos do pescoço ou posturas desconfortáveis por longos períodos podem aumentar o risco de torcicolo; 
  • Falta de exercício físico: a fraqueza muscular devido à falta de exercício físico regular pode tornar os músculos mais propensos a lesões, incluindo torcicolo; 
  • Obesidade: o excesso de peso coloca pressão adicional nos músculos e articulações, o que pode aumentar o risco de torcicolo; 
  • Tabagismo: o tabagismo pode afetar a circulação sanguínea e a oxigenação dos tecidos, o que pode aumentar o risco de tensão muscular e lesões; 
  • Condições médicas subjacentes: certas condições médicas, como artrose cervical ou hérnia de disco, podem aumentar o risco de torcicolo devido à deterioração das estruturas do pescoço; 

Ao identificar esses fatores de risco, é possível tomar medidas para reduzir a probabilidade de desenvolver torcicolo, como praticar boa postura, gerir o stress, manter um peso saudável, realizar exercícios de fortalecimento muscular e procurar tratamento adequado para lesões anteriores no pescoço.

Como é feito o tratamento? Exige sempre acompanhamento médico?

O tratamento para torcicolo pode variar dependendo da gravidade dos sintomas, da causa subjacente e das necessidades individuais do paciente. 

  • Autocuidado em casa. Para casos leves de torcicolo, medidas simples de autocuidado podem ajudar a aliviar os sintomas. Pode incluir repouso, aplicação de calor ou gelo na área afetada, uso de analgésicos de venda livre para aliviar a dor e realizar suaves alongamentos cervicais; 
  • Medicamentos. Em casos de dores moderadas a intensas, o médico pode prescrever medicamentos para ajudar a controlá-la e reduzir a inflamação; 
  • Fisioterapia pode ser recomendada para ajudar a fortalecer os músculos do pescoço, melhorar a amplitude de movimento e corrigir a postura; 
  • Terapias alternativas. É possível que alguns pacientes encontrem alívio por meio de terapias complementares, como acupuntura, massagem terapêutica ou técnicas de relaxamento, como ioga ou meditação; 
  • Injeções. Em casos graves de torcicolo que não respondem a outras formas de tratamento, o médico pode recomendar injeções de corticosteroides diretamente nos músculos do pescoço para reduzir a inflamação e aliviar a dor; 
  • Cirurgia em casos muito raros em que o torcicolo é causado por uma condição subjacente mais grave, como uma hérnia de disco ou estenose cervical, a cirurgia pode ser necessária para corrigir a causa subjacente. 

Leia Também: Dores no fundo das costas? Fazer esta posição de ioga pode ajudar

Tem algum tipo de consequências a longo prazo? 

Na maioria dos casos, o torcicolo não causa consequências a longo prazo e tende a melhorar com o tempo e o tratamento adequado. No entanto, em alguns casos mais graves ou recorrentes, podem ocorrer complicações ou efeitos a longo prazo, embora sejam relativamente raros.

  • Limitações de movimento se o torcicolo não for tratado adequadamente ou se a causa subjacente não for abordada, pode resultar em limitações permanentes de movimento no pescoço; 
  • Dor crónica. Em casos raros, o torcicolo pode se tornar crónico, com dor persistente e recorrente no pescoço; 
  • Degeneração da coluna cervical. Em casos muito graves, lesões repetidas no pescoço podem levar à degeneração da coluna cervical ao longo do tempo; 
  • Impacto na qualidade de vida. Torcicolos recorrentes ou persistentes podem afetar negativamente a qualidade de vida, interferindo nas atividades diárias e no sono; 
  • Complicações emocionais. Normalmente a dor crónica e a incapacidade de aliviar os sintomas podem levar a complicações emocionais, como ansiedade, depressão ou irritabilidade.

É possível prevenir um torcicolo? Como? 

Embora seja impossível prevenir completamente o torcicolo, algumas medidas podem ajudar a reduzir o risco de desenvolvê-lo:

  • Manter postura adequada; 
  • Evitar manter a mesma posição durante muito tempo, sobretudo posições que sobrecarreguem o pescoço. Faça pausas frequentes para se levantar, se alongar e mover-se durante o dia;
  • Exercícios de fortalecimento e alongamento, ajudando a manter a flexibilidade e a resistência muscular, reduzindo o risco de tensão e lesões; 
  • Ergonomia no local de trabalho. Mantenha uma estação de trabalho  ergonómica, com uma cadeira confortável e ajustável, monitor de computador na altura dos olhos e teclado e rato posicionados de forma confortável para evitar tensão no pescoço e nos ombros;
  • Levante objetos corretamente. Por exemplo, ao levantar objetos pesados, dobre os joelhos e mantenha as costas retas para evitar colocar pressão excessiva no pescoço e nas costas;
  • Gerir o stress; 
  • Cuidados com o sono. Use uma almofada adequada e mantenha uma posição confortável ao dormir para evitar torcicolo relacionado ao sono; 
  • Mantenha um peso saudável. Excesso de peso coloca pressão adicional nos músculos e articulações, aumentando o risco de lesões, incluindo torcicolo.

Embora essas medidas possam ajudar a reduzir o risco de desenvolver torcicolo, é importante lembrar que nem sempre é possível evitar completamente lesões musculares ou tensão no pescoço. 

Leia Também: Disforia de género. O que é? Como ajudar? Psicóloga responde

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório