Meteorologia

  • 20 ABRIL 2024
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 23º

"Não estava nada à espera". Vítor Matos reage à segunda estrela Michelin

O chef não escondeu a sua desilusão por nenhum restaurante ter conseguido obter a terceira estrela.

"Não estava nada à espera". Vítor Matos reage à segunda estrela Michelin
Notícias ao Minuto

00:00 - 28/02/24 por Lusa

Lifestyle Guia Michelin

A surpresa e a emoção de alcançar duas estrelas Michelin dominavam os sentimentos do chef Vítor Matos, do Antiqvvm (Porto), que não escondeu a sua desilusão por nenhum restaurante ter conseguido obter a terceira estrela.

"Não estava nada à espera, porque duas estrelas Michelin não é só um prémio, é uma responsabilidade muito grande perante os nossos clientes e as pessoas que nos visitam. Isto quer dizer que não podemos parar aqui e que temos de subir mais", disse aos jornalistas, após a primeira gala exclusivamente portuguesa do guia Michelin, que se realizou em Albufeira.

Leia Também: "Temos potencial para estar entre as melhores gastronomias do mundo"

Na cerimónia, o chef viu o Antiqvvm receber duas estrelas Michelin, juntando-se aos restantes sete restaurantes anteriormente distinguidos pelo guia nesta categoria atribuída a uma 'cozinha excelente, vale a pena o desvio'.

No entanto, Vítor Matos mostrou alguma desilusão por não haver nenhum restaurante a obter uma terceira estrela, dizendo ter-se sentido chocado. "Vejo os restaurantes a serem nomeados novamente com duas estrelas e penso: falta aqui alguma coisa", reconheceu.

Se antes a sua cozinha era mais complexa, com pratos com muitos ingredientes e sabores muito fortes -- o que lhe valeu a alcunha de 'o barroco' - hoje, o chef tenta primar pela delicadeza dos seus pratos, sempre com um toque português, referiu.

2Monkeys (Vítor Matos e Francisco Quintas, Lisboa); Desarma (Octávio Freitas, Funchal); Ó Balcão (Rodrigo Castelo, Santarém) e Sála (João Sá, Lisboa) são os restaurantes que se estreiam na em receber uma estrela Michelin, que distingue uma 'cozinha de grande nível, compensa parar'.

Leia Também: Mulher portuguesa Michelin? "Há muita vontade de festejar essa vitória"

O restaurante Desarma, no Funchal, o único fora do continente a receber a distinção em 2024, está inserido num hotel de quatro estrelas, o que leva o chef Octávio Freitas, que abriu o restaurante há apenas um ano, a acreditar que hoje se fez "duplamente" história.

"Estamos a fazer duplamente história no dia de hoje, porque o Desarma está inserido num hotel de quatro estrelas e normalmente este tipo de restaurantes associa-se muito a produtos de cinco estrelas", referiu.

Rodrigo Castelo, do restaurante Ó Balcão, em Santarém e que hoje foi distinguido com dois prémios: uma estrela Michelin e a 'estrela verde', que distingue a gastronomia sustentável, confessou não estar à espera do prémio, embora assuma ter trabalhado para isso.

"Há muito que gostávamos [de receber uma estrela] e não o escondíamos, tínhamos esse sonho [...] Eu não estava mesmo à espera, há muitos anos que procuramos e, não estando à espera, é uma emoção muito forte mesmo", disse aos jornalistas.

João Sá, do restaurante Sála de João Sá, em Lisboa, confessou estar emocionado com a distinção e repetiu aos jornalistas a ideia que já tinha mostrado em palco: [o que é preciso é] desfrutar, ser feliz a fazê-lo e sem obsessões e sem stresses, porque não faz sentido ser assim".

Também o 2 Monkeys, em Lisboa, que junta Vítor Matos e Francisco Quintas, recebeu a sua primeira estrela Michelin na edição de 2024, sendo Francisco o mais novo chef a subir ao palco, com 25 anos, o que deixou igualmente orgulhoso.

Leia Também: Vila Foz. O restaurante Michelin do Porto está cheio de novidades no menu

"Estou muito contente, é o reconhecimento de um trabalho que está a ser feito em equipa, é um projeto muito recente. Houve esta mística entre os dois, primeiro entre nós, e depois entre a equipa", declarou.

No total, o guia deste ano contabiliza 31 restaurantes com uma estrela. Três restaurantes não renovaram a estrela: Eneko Lisboa (por encerramento), Casa da Calçada (Amarante, em obras) e Vistas (Vila Nova de Cancela, devido à saída do chef Rui Silvestre, que transitou para o Fifty Seconds).

Portugal continua sem ter a distinção máxima de três estrelas ('cozinha única, justifica a viagem').

Os restaurantes portugueses distinguidos no Guia Michelin Espanha e Portugal 2024 foram anunciados hoje à noite na primeira gala exclusivamente nacional e que vai tornar-se um evento anual, segundo a publicação, que até à edição de 2023 anunciava os premiados numa cerimónia conjunta entre os dois países.

Portugal conta também com mais dois restaurantes com 'estrela verde' (que distingue a gastronomia sustentável): Malhadinha Nova (João Sousa, Albernoa) e Ó Balcão (Rodrigo Castelo, Santarém) - e totaliza, agora, cinco nesta categoria.

Leia Também: Das novas estrelas aos chefs em destaque. Os resultados do Guia Michelin

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório