Meteorologia

  • 13 ABRIL 2024
Tempo
22º
MIN 16º MÁX 29º

Técnica de ultrassom melhora a mobilidade dos espermatozoides em 266%

A equipa de investigadores responsável pelo desenvolvimento desta técnica considera que é um avanço que pode ajudar os médicos de fertilidade a melhorar os resultados dos tratamentos de reprodução assistida.

Técnica de ultrassom melhora a mobilidade dos espermatozoides em 266%
Notícias ao Minuto

07:10 - 15/02/24 por Lusa

Lifestyle Fertilidade

Uma equipa de investigadores desenvolveu uma técnica de ultrassom não invasiva que aumenta a mobilidade dos espermatozoides em até 266%, um avanço que pode ajudar os médicos de fertilidade a melhorar os resultados dos tratamentos de reprodução assistida.

Os detalhes da técnica, desenhada por investigadores da Universidade Monash, Melbourne, Austrália, foram publicados esta quarta-feira na revista Science Advances.

Leia Também: Descoberto mecanismo biológico da perda auditiva devido a ruídos altos

A equipa projetou um dispositivo microfluídico especial que permite avaliar os espermatozoides individualmente - algo que não tinha sido feito antes - e então descobriu que a exposição ao ultrassom induzia o movimento dos espermatozoides imóveis e melhorava a velocidade dos espermatozoides que tinham baixa mobilidade.

Aumentar mobilidade dos espermatozoides significa melhorar a sua capacidade de se movimentar de forma autónoma, algo que pode melhorar consideravelmente as hipóteses de uma fertilização bem-sucedida sem o uso de outras técnicas mais invasivas e caras, como a injeção intracitoplasmática de espermatozoides, que é realizada durante a fertilização in vitro.

Leia Também: Demência. Cientistas descobrem como antecipar diagnóstico em 10 anos

Existem também medicamentos que aumentam a mobilidade dos espermatozoides, como a pentoxifilina, mas o seu uso é muito limitado devido aos efeitos secundários potencialmente nocivos que provoca.

Recentemente, um estudo mostrou que o ultrassom pode melhorar a motilidade dos espermatozoides em humanos e touros, melhorando o metabolismo mitocondrial, mas tem sido difícil avaliar a eficácia desta técnica no nível unicelular.

Leia Também: Neurocientista revela suplemento que ajuda cérebro a funcionar em pleno

Agora, a equipa da Monash University conseguiu desenvolver uma técnica que envolve o encapsulamento de espermatozoides em microgotículas para obter imagens destes. Ao testá-la com espermatozoides imóveis e de baixa mobilidade, e expondo-os a ultrassonografia de alta frequência, os cientistas conseguiram mostrar que a técnica pode melhorar a sua mobilidade em até 266%.

Os investigadores descobriram que a técnica aumentou a velocidade dos espermatozoides móveis e ajudou 34% dos espermatozoides vivos e imóveis a tornarem-se móveis, o que associaram a mudanças na função mitocondrial. "Estes resultados são promissores para a aplicação deste método mecanoterápico na reprodução assistida", sublinharam os autores do estudo.

"Ser capaz de alterar a mobilidade pode potencialmente modificar a seleção do tipo de terapia e os resultados resultantes no sentido da aplicação de opções menos invasivas e mais acessíveis", concluíram.

Leia Também: Fígado gordo. Médico aponta sinais de doença silenciosa e traiçoeira

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório