Meteorologia

  • 14 ABRIL 2024
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 29º

Más notícias. Quanto maior a fertilidade, pior é a esperança de vida

Um estudo publicado na revista Science revela que os mesmos genes que aumentam a fertilidade podem reduzir a esperança de vida.

Más notícias. Quanto maior a fertilidade, pior é a esperança de vida
Notícias ao Minuto

22:22 - 19/12/23 por Notícias ao Minuto

Lifestyle Fertilidade

Um grupo de cientistas afirma que portadores de variações genéticas que estimulam a reprodução apresentam uma maior hipótese de morrer cedo. Por outras palavras: quanto maior a fertilidade, pior é a esperança de vida.

"Confirmamos a hipótese da pleiotropia antagonista, que diz que as mutações que incentivam a reprodução têm maior probabilidade de reduzir o tempo de vida", refere Jianzhi Zhang, da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, e autor sénior do estudo publicado na revista científica Science.

Os cientistas analisaram os genes de mais de 276 mil participantes do UK Biobank, uma base de dados biomédica e de documentação de investigação, com informações genéticas e de saúde detalhadas sobre cerca de meio milhão de participantes do Reino Unido). Segundo a o estudo, portadores de variações genéticas que favorecem a reprodução têm mais hipóteses de morrer aos 76 anos.

Leia Também: É possível compensar no fim de semana a falta de horas de sono?

Essas mesmas variações genéticas aumentaram ao longo das gerações entre 1940 e 1969, de acordo com o mesmo estudo. "Isso mostra que o padrão evolutivo de alta reprodução e baixa sobrevivência ainda é visível nos seres humanos modernos. Nossas variantes genéticas são o produto de centenas de milhares de anos de evolução. O que é surpreendente é que, apesar de termos uma saúde muito melhor do que nunca, esse padrão ainda é visível", diz Steven Austad, especialista em investigação de envelhecimento da Universidade do Alabama, nos Estados Unidos.

"É como se algumas mutações tivessem dois lados: um lado bom quando somos jovens e um lado não tão bom quando somos velhos", acrescenta Arcadi Navarro Cuartiellas, da Universidade Pompeu Fabra, em Espanha, que também não participou no estudo.

Leia Também: Crianças até aos cinco anos devem evitar (ao máximo) estes alimentos

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório