Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2024
Tempo
18º
MIN 10º MÁX 20º

Os sinais de demência que surgem até 14 anos antes do diagnóstico

São 11 sinais.

Os sinais de demência que surgem até 14 anos antes do diagnóstico
Notícias ao Minuto

16:35 - 28/08/23 por Notícias ao Minuto

Lifestyle Doenças neurodegenerativas

Um grupo de cientistas desenvolveu um teste (UKBDRS) para diagnosticar precocemente a demência. Os investigadores da Universidade de Oxford,  no Reino Unido, descobriu 11 fatores de risco que podem aparecer até 14 anos antes de os pacientes receberem um diagnóstico oficial.

O estudo, publicado na revista BMJ Mental Health, analisou dados de 220 mil pessoas com idades entre os 50 e 73 anos, inseridos na UK Biobank, uma base de dados biomédica e de documentação de investigação, com informações genéticas e de saúde detalhadas sobre cerca de meio milhão de participantes do Reino Unido. 

Leia Também: Dos sintomas ao tratamento. O bê-à-bá da insuficiência cardíaca

As informações foram analisadas para desenvolver a ferramenta de avaliação de risco e dados de 2934 pessoas (do estudo Whitehall II), com uma idade média de 57 anos, foram usados para validá-la. Os investigadores compilaram 28 tópicos que estão relacionados ao desenvolvimento da demência e selecionaram apenas os considerados 'mais fortes'. Além dos fatores de risco, os cientistas analisaram ainda se os indivíduos tinham ou não o gene APOE, comumente associado ao desenvolvimento de Alzheimer.

Eis os 11 fatores de risco considerados mais relevantes:

1- Idade;

2- Baixa escolaridade;

3- Histórico de diabetes;

4- Histórico de depressão;

5- Histórico de acidente vascular cerebral;

6- Histórico parental de demência;

7- Vulnerabilidade social;

8- Pressão alta;

9- Colesterol alto;

10- Morar sozinho;

11- Ser do sexo masculino.

Leia Também: O que se sabe sobre a bactéria que terá vitimado jovem que veio à JMJ

Recorde-se que demência é um termo genérico utilizado para designar um conjunto de doenças, como o Alzheimer - segundo a rede de saúde CUF, representa cerca de dois terços de todos os casos - que se caracterizam por alterações cognitivas que podem estar associadas a perda de memória, alterações da linguagem e desorientação no tempo ou no espaço. 

A Organização Mundial da Saúde estima que existam 47.5 milhões de pessoas com demência em todo o mundo e prevê que este número possa chegar aos 75.6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050, para 135.5 milhões. 

Leia Também: Médico revela três mudanças que ocorrem em doentes com demência rara

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório