Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2022
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 16º

Exposição à poluição do ar piora efeitos da infeção por Covid-19

Investigadores analisaram o efeito da exposição à poluição do ar em pessoas com e sem vacina contra o coronavírus.

Exposição à poluição do ar piora efeitos da infeção por Covid-19
Notícias ao Minuto

08:42 - 29/09/22 por Notícias ao Minuto

Lifestyle Coronavírus

Segundo uma equipa de investigadores, é muito possível que a exposição à poluição do ar pior, significativamente, os efeitos da infeção por Covid-19, mesmo em pessoas vacinadas. 

O estudo, publicado na revista científica American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine, baseia-se em descobertas, feitas pela mesma equipa, apresentadas em maio, que ajudaram a estabelecer uma ligação entre a exposição à poluição do ar e a gravidade do vírus. 

Para conseguirem perceber os efeitos deste tipo de poluição, em pessoas vacinas, os investigadores analisaram os dados de mais de 50 mil pessoas, com Covid-19, no sul da Califórnia, Estados Unidos. Os participantes testaram positivo em julho ou agosto de 2021, altura em que a Delta era a variante dominante, mas já estavam a ser administradas as vacinas. Depois, compararam os registos de qualidade do ar, recolhidos na área, com os registos médicos dos participantes.

Leia Também: Covid-19. Vacina provoca "pequenas alterações" no ciclo menstrual

Graças a isto foi possível perceber que os poluentes atmosféricos, nomeadamente, partículas finas (PM2.5) e dióxido de nitrogénio (NO2), são prejudiciais mesmo em pessoas que foram vacinadas. Concluindo que a exposição a estes dois poluentes, tanto a curto, como a longo prazo, aumentou o risco de hospitalização em até 30%.

Os cientistas perceberam ainda que a longo prazo, a poluição está ligada ao aumento de doenças cardiovasculares e pulmonares, o que por sua vez causa sintomas mais graves de Covid-19. Já a curto prazo, a exposição à poluição do ar pode piorar a inflamação nos pulmões e até alterar a resposta do sistema imunitário ao vírus.

Também foi possível concluir que entre as 30.912 pessoas analisadas que não foram vacinadas, a alta exposição a PM2.5, a curto prazo, aumentou o risco de hospitalizações por Covid-19, em 13%, e a exposição a longo prazo aumentou o risco em 24%.

Leia Também: Covid-19. Imunocomprometidos pedem terapêutica alternativa às vacinas

Já quando se fala de NO2, a exposição a curto prazo aumentou o risco de hospitalização em 14% e a exposição a longo prazo aumentou o risco em 22%.

Entre pessoas vacinadas este efeito prejudicial é ligeiramente menor. No entanto, Zhanghua Chen, professor na Faculdade de Medicina Keck da Universidade do Sul da Califórnia e um dos autores do estudo, explica, em comunicado,  que "essa diferença não é estatisticamente significativa".

Os resultados deste estudo sugerem que, para reduzir os casos graves de Covid-19, é essencial melhorar a qualidade do ar, afirmam os investigadores. 

Leia Também: Condições preexistentes aumentam risco de doença grave ou morte por Covid

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório