Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2022
Tempo
13º
MIN 7º MÁX 14º

Descoberta terapia promissora para restaurar fertilidade feminina

É o que revela um novo estudo.

Descoberta terapia promissora para restaurar fertilidade feminina
Notícias ao Minuto

17:04 - 14/08/22 por Notícias ao Minuto

Lifestyle Fertilidade

A perda de função ovárica em mulheres com menos de 40 anos poderá vir a ser tratada com recurso a células estaminais. De acordo com um novo estudo, realizado em modelo animal, as células estaminais do tecido do cordão umbilical têm capacidade de aliviar a disfunção hormonal e normalizar o tamanho dos ovários, promovendo melhorias na fertilidade.

Estima-se que a Insuficiência Ovárica Prematura (IOP) afete cerca de um por cento das mulheres até aos 40 anos. Nestes casos, a disfunção hormonal provoca alterações no ciclo menstrual, que conduzem frequentemente à perda de fertilidade. Fatores genéticos, doenças autoimunes ou tratamentos para o cancro (quimio ou radioterapia) podem estar na origem desta doença.

"Na procura de uma solução capaz de recuperar a função ovárica e a fertilidade em mulheres com IOP, a terapia com células estaminais mesenquimais tem-se destacado pelos seus resultados promissores, tanto em modelo animal como em ensaios clínicos", afirma Bruna Moreira, investigadora do Departamento de I&D da Crioestaminal, em comunicdo.

Ainda assim, "aguardamos com grande expectativa a realização de mais ensaios clínicos que confirmem a eficácia desta terapia e permitam estabelecera metodologia ideal, nomeadamente no que se refere à quantidade de células e à melhor via de administração, determinantes para o sucesso do tratamento", conclui.

O estudo, em modelo animal, recentemente publicado veio reforçar o potencial da terapia com células estaminais do tecido do cordão umbilical para o tratamento de IOP e restauração da fertilidade. O tratamento com células estaminais foi capaz de diminuir a gravidade das alterações observadas no ciclo reprodutivo dos animais com IOP, aliviar a disfunção hormonal e normalizar o tamanho dos ovários.

Além disso, verificou-se que a terapia com células estaminais mesenquimais do tecido do cordão umbilical aumentou o número de folículos saudáveis nos ovários, incluindo dos que se encontravam em fase de pré-ovulação, e diminuiu o número de folículos em fase de morte celular.

Observaram-se também efeitos do tratamento com células estaminais na fertilidade: a taxa de sucesso de acasalamento foi de 83% nos animais tratados com células estaminais por via intravenosa e de 100% nos que receberam células estaminais diretamente nos ovários.

Além do efeito positivo na fertilidade, os investigadores verificaram que o número de fetos foi superior nos animais tratados com células estaminais, sobretudo nos que receberam células diretamente nos ovários, cujo número de fetos foi semelhante ao dos animais saudáveis.

O estudo evidencia ainda a importância da via de administração na eficácia do tratamento, tendo-se registado maior eficácia na aplicação direta das células estaminais diretamente nos ovários do que na administração por via intravenosa.

Estes resultados sugerem que a terapia com células estaminais do tecido do cordão umbilical é capaz de promover melhorias significativas na função ovárica em modelo animal de IOP.

Leia Também: A pensar na procriação medicamente assistida? Eis tudo o que deve saber

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório