Meteorologia

  • 20 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 22º

Dietas: Mitos, benefícios e os problemas que podem causar

Falámos com Mariana Afra Pedro, nutricionista do SAMS (o maior subsistema privado de saúde do país), sobre dietas, os seus mitos, e a influência que podem ter, assim como as redes sociais, na procura do 'corpo perfeito' e no desenvolvimento de distúrbios alimentares.

Dietas: Mitos, benefícios e os problemas que podem causar
Notícias ao Minuto

07:36 - 21/07/22 por Margarida Ribeiro

Lifestyle Entrevista

Com a chegada do verão, a pressão para ter um 'corpo perfeito' e 'pronto' para usar biquíni aumenta, assim como a procura de dietas 'milagrosas' e rápidas. Existem diferentes formas de fazer uma dieta - umas são mais saudáveis do que outras - e é essencial conhecer não só os potenciais benefícios, mas também as consequências negativas que uma dieta 'mal feita' pode ter na saúde física e mental. 

Em entrevista com o Lifestyle ao Minuto, Mariana Afra Pedro, nutricionista do SAMS (o maior subsistema privado de saúde do país), explica como a obsessão pela 'dieta saudável' é perigosa e pode provocar problemas graves, como distúrbios alimentares - sem esquecer o papel que as redes sociais podem ter no diagnóstico deste tipo de doenças.

Além disto, a nutricionista esclarece alguns mitos associados com dietas e realça a importância que um acompanhamento especializado tem para um regime alimentar equilibrado.

O jejum intermitente está muito na moda e é uma das soluções rápidas mais procuradas. (...) Poderá não funcionar para todas as pessoas

Qual é o impacto das redes sociais nas 'dietas de verão'?

As redes sociais têm inúmeras vantagens e podem ser muito bem aproveitadas para a sensibilização da realização de uma alimentação saudável. No entanto, o seu acesso é livre e qualquer pessoa pode dar a sua opinião e divulgar uma série de dietas milagrosas e suplementos alimentares que, muitas vezes, trazem poucos resultados e são prejudiciais à saúde. Por si só, a palavra ‘dieta’ tem uma conotação negativa, porque nos habituamos a que ‘dieta’ signifique restrição alimentar, seja ela de macronutrientes ou de vitaminas ou de minerais. Nas redes sociais encontramos muito este termo e por vezes, erradamente, transmite-nos a ideia de que conseguimos chegar à forma física que pretendemos se fizermos aquela dieta em específico.

Notícias ao Minuto Mariana Afra Pedro© DR

Quais são as soluções mais comuns que as pessoas procuram para conseguir o ‘corpo perfeito’?

O jejum intermitente está muito na moda e é uma das soluções rápidas mais procuradas. Embora todas as vantagens que apresente, poderá não funcionar para todas as pessoas e poderá levar à perda de massa magra. Não existem dietas milagrosas, nem atalhos para perder peso. Cada pessoa é única, com as suas necessidades, rotinas e preferências alimentares. 

Quais são os mitos mais perigosos sobre dietas que existem?

Um dos maiores mitos acerca das dietas é a necessidade de restrição de grupos alimentares, nomeadamente, a restrição de hidratos de carbono, o que não é correto, uma vez que para termos uma alimentação equilibrada e saudável, não devemos restringir nenhum grupo alimentar. Além disso, os hidratos de carbono são os nutrientes a partir dos quais conseguimos obter energia, assim, se os excluirmos da nossa alimentação o mais provável é termos grandes picos de fome, geralmente ao final do dia, levando-nos a piores escolhas alimentares e a comer uma maior quantidade de certos alimentos, prejudicando assim o processo de perda de peso.

Não existem dietas milagrosas, nem atalhos para perder peso. Cada pessoa é única, com as suas necessidades, rotinas e preferências alimentares. Outro dos grandes mitos é que os produtos ‘light’ são mais saudáveis e não engordam. Os produtos ‘light’ têm de facto menos 30% de um ou mais nutrientes em relação ao produto semelhante, no entanto, isso não significa que o seu valor calórico seja inferior, nem que esse alimento seja mais saudável, nem que se possa ingerir à vontade.

Existem mesmo alimentos que devemos evitar?

Alguns alimentos não devem ser ingeridos todos os dias como os alimentos ricos em açúcar, por exemplo, bolos, gelados e refrigerantes açucarados e os alimentos ricos em gordura e sal como enchidos e salgadinhos. No entanto, não significa que não os possamos comer num dia de festa ou numa ocasião especial.

E quais são os alimentos que não são tão saudáveis quanto parecem? 

Existem alguns alimentos que não são tão saudáveis como parecem, por exemplo, as bolachas ou os cereais de pequeno-almoço sem adição de açúcar que são, geralmente, mais ricos em gordura do que as suas versões ditas 'normais'. Por vezes ficamos com a ideia de que as granolas e os muesli à venda nos supermercados são saudáveis, devido às suas alegações nutricionais que indicam que são mais ricos em fibra e vitaminas, no entanto, mais uma vez tratam-se de alimentos processados, a maior parte das vezes com excesso de açúcar e de gordura.

Existem alimentos biológicos que não são assim tão saudáveis como parecem

Biológico e saudável são sinónimos? 

Os produtos biológicos resultam de técnicas de agricultura biológica ou produção animal biológica que promovem práticas sustentáveis e de impacto positivo no ecossistema e no ambiente. Deste modo, a agricultura não recorre a pesticidas, herbicidas ou adubos químicos, nem a organismos geneticamente modificados, a fim de produzir alimentos de elevada qualidade e saudáveis. O alimento saudável é aquele que promove a saúde, no entanto, existem alimentos biológicos que não são assim tão saudáveis como parecem, pela adição de açúcar e/ou gordura e por sua vez, existem alimentos que não são biológicos e que são saudáveis. 

Quais são as substituições mais desnecessárias que se fazem nos dias de hoje?

Uma das substituições mais frequentes, nos dias de hoje, é substituir o azeite por óleo de coco. O valor calórico destas duas gorduras é semelhante, no entanto, a diferença encontra-se no perfil lipídico. O óleo de coco é constituído maioritariamente por gordura saturada e o azeite é uma gordura monoinsaturada, rica em ómega-9 e vitamina e, como tal, tem uma ótima ação antioxidante e anti-inflamatória. 

Um dos maiores mitos acerca das dietas é a necessidade de restrição de grupos alimentares, nomeadamente, a restrição de hidratos de carbono, o que não é correto, uma vez que para termos uma alimentação equilibrada e saudável, não devemos restringir nenhum grupo alimentar.Outra substituição frequente é trocar o açúcar branco por tipos de açúcares mais escuros (como o açúcar mascavado, o açúcar amarelo e o açúcar de coco). Apesar de este tipo de açúcar ser menos processado e, por isso, apresentar mais minerais e vitaminas em relação ao açúcar branco, não nos podemos esquecer de que todas estas opção se tratam à mesma de açúcar e por isso não é recomendável a sua ingestão em grandes quantidades. 

 O que propõe para alterar esta realidade que expõe?

É importante procurar informação em fontes científicas credíveis e não nos deixarmos influenciar por tudo aquilo que lemos nas redes sociais. É fundamental a procura de aconselhamento nutricional realizado por um nutricionista ou dietista.

A dieta perfeita existe? 

A dieta perfeita é aquela que é adaptada às nossas necessidades fisiológicas e emocionais, que não restringe nenhum grupo alimentar, que seja prática, que consigamos realizar sem grandes dificuldades e que seja adaptada aos nossos horários e ao nosso estilo de vida.

O que pode e deve ser feito pelos nutricionistas?

O papel dos nutricionistas é dar apoio nutricional, realizando um plano alimentar adequado àquela pessoa em particular, desfazendo os mitos e esclarecendo todas as dúvidas que a pessoa possa trazer.

Quais são os cuidados a ter quando se planeia uma dieta?

O maior cuidado na realização de uma dieta ou de um plano alimentar, como prefiro chamar-lhe, é saber se está adaptado às necessidades nutricionais da pessoa em questão que varia com a idade, género, atividade física, preferências alimentares, condição de saúde, entre outros fatores. Por sua vez, todas as sugestões de refeições propostas pelo nutricionista deverão ser negociadas e conversadas com a pessoa em questão para garantir que sejam possíveis de realizar. 

 É fundamental a procura de aconselhamento nutricional realizado por um nutricionista ou dietista.

Quando é que uma dieta deixa de ser saudável?

Deixa de ser saudável quando começam a existir carências de vitaminas, minerais ou de outros nutrientes. Ou mesmo não existindo essas carências, quando a pessoa leva ao extremo a sua preocupação em cumprir o plano alimentar e a certa altura tudo gira em torno da alimentação, deixa de haver vida social, a pessoa começa a recusar convites para almoçar ou jantar fora. Isso não é saudável. 

Que tipo de distúrbios alimentares podem resultar da pressão das redes sociais e de uma dieta 'mal feita'? E quais são os mais comuns?

A pressão das redes sociais, pode levar à alteração dos hábitos alimentares de forma extrema, refletindo-se muitas vezes em depressão, má relação com o corpo e com a alimentação e transtornos alimentares, sendo os mais frequentes a anorexia e a bulimia.

Há sinais a que podemos estar atentos?

Devemos estar atentos a sinais como a excessiva preocupação com a alimentação, a constante contagem de calorias ingeridas, a restrição alimentar após a ingestão de alimentos demasiado calóricos e o grande sentimento de culpa presente após essa ingestão.

Leia Também: Fazer exercício não resulta sem uma dieta equilibrada, diz estudo

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório