Meteorologia

  • 22 NOVEMBRO 2019
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 18º

Edição

O vício em sexo é real. Estudo revela a causa do problema de saúde mental

Uma equipa de investigadores suecos revelou que a origem da condição pode estar numa alteração no ADN que aumenta a produção da hormona ocitocina.

O vício em sexo é real. Estudo revela a causa do problema de saúde mental
Notícias ao Minuto

15:00 - 30/09/19 por Notícias Ao Minuto 

Lifestyle Vício em sexo

No ano passado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou o comportamento sexual compulsivo – mais conhecido como vício em sexo – como um distúrbio de saúde mental. Apesar disso, diversas instituições internacionais, como a Associação Americana de Psiquiatria, ainda não consideram a hipersexualidade como um problema de saúde. Um dos motivos para essa discordância está na dificuldade em encontrar a ‘causa’ do distúrbio. Todavia, uma nova pesquisa pode ter encontrado a resposta para esse enigma.

Uma equipa de investigadores suecos revelou que a origem da condição pode estar numa alteração no ADN que aumenta a produção da hormona ocitocina, também conhecida por hormona do amor. O excesso da substância faz com que o indivíduo se sinta atraído por várias pessoas ao mesmo tempo – o que o leva à procura compulsiva por sexo. 

“Com base nos dados apurados, o vício em sexo é um diagnóstico médico que tem uma causa neurobiológica”, explicou Adrian Boström, do Instituto Karolinska, na Suécia, num estudo publicado na revista Epigenetics

Uma segunda pesquisa realizada pela equipa mostrou também que a parte do ADN responsável pelo surgimento de vícios também é alterada em pessoas com comportamento sexual compulsivo.

Para os cientistas, os novos resultados confirmam que a hipersexualidade é de facto um transtorno mental e deve ser tratado como qualquer outra forma de vício.

A descoberta é importante, pois estima-se que 3% a 6% da população mundial sofre com o distúrbio. Estudos realizados nos Estados Unidos, por exemplo, mostram que 5% dos americanos têm hipersexualidade  – essa taxa é maior do que a encontrada para outros problemas de saúde mental, como esquizofrenia e transtorno bipolar. Outras estimativas sugerem que o problema afeta mais os homens (um em cada dez) do que mulheres (uma em cada 12).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório