Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2019
Tempo
12º
MIN 12º MÁX 18º

Edição

À beira do vazio. Transtorno de Personalidade Borderline: 10 sintomas

Síndrome de Borderline ou Transtorno de Personalidade Borderline é uma condição mental do foro psiquiátrico grave caracterizada por um padrão de instabilidade contínua no humor, no comportamento, auto-imagem e funcionamento.

À beira do vazio. Transtorno de Personalidade Borderline: 10 sintomas
Notícias ao Minuto

09:00 - 24/09/19 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Transtorno de personalidade borderline

Os sintomas mais comuns  da Síndrome de Borderline englobam instabilidade emocional, sensação de inutilidade, insegurança, impulsividade e relações sociais prejudicadas, de acordo com informações divulgadas pela organização que estuda doenças mentais American Society for Psychical Research.

Essas experiências geralmente resultam em ações impulsivas e relacionamentos instáveis. Uma pessoa com Síndrome de Borderline pode experiencia episódios intensos de raiva, depressão e ansiedade que podem durar somente algumas horas ou prolongar-se por vários dias. 

Algumas indivíduos com Transtorno de Personalidade Borderline também apresentam altas taxas de ocorrência em conjunto de outros transtornos mentais, como distúrbios do humor, transtornos de ansiedade e distúrbios alimentares, além de abuso de substâncias, automutilação, além de pensamentos e comportamentos suicidas. Estes doentes podem ainda alternar momentos em que estão estáveis com surtos psicóticos, manifestando comportamentos descontrolados.

Sinais e sintomas da Síndrome de Borderline

Pessoas Borderline podem sofrer mudanças extremas de humor e podem demonstrar incertezas sobre quem são. Como resultado, seus interesses e valores podem mudar rapidamente.

Os principais sinais incluem:

  • Esforços frenéticos para evitar o abandono real ou imaginário. O medo do abandono provoca uma necessidade elevada de nunca se sentirem sozinhas, rejeitadas ou sem apoio. 
  • Um padrão de relações intensas e instáveis com familiares, amigos e entes queridos, muitas vezes passando de extrema proximidade e amor (idealização) a extrema fúria ou ódio (desvalorização). Impulsividade: idealizam pessoas, apaixonam-se e desapaixonam de modo fulminante. Rapidamente desenvolvem admiração e desencanto por alguém.
  • Auto-imagem distorcida e instabilidade em relação a si mesmos. Baixa autoestima.
  • Comportamentos impulsivos e muitas vezes perigosos, como gastar compulsivamente, praticar sexo sem proteção, abusar de álcool e drogas, conduzir de forma imprudente e compulsão.
  • Comportamentos suicidas recorrentes ou ameaças ou comportamentos autodestrutivos, como a automutilação. Muitos magoam-se de propósito, queimam ou furam a pele por vontade de sentir dor. Não é incomum ouvir relatos como 'a dor no corpo é melhor que a dor na alma'. 
  • Humor intenso e altamente variável. Cada episódio dura entre algumas horas a alguns dias.
  • Sentimentos recorrentes de vazio e solidão. Possuem alta sensibilidade à rejeição. Pequenas rejeições provocam grandes tempestades emocionais. 
  • Fúria, ódio ou raiva intensa ou problemas/dificuldades para controlar a raiva.
  • Presença de pensamentos paranóicos relacionados ao stress. 
  • Mais raramente podem apresentar episódios psicóticos.

Causas e fatores de risco

As causas da Síndrome de Borderline ainda não estão claras. O transtorno pode ocorrer devido a predisposição genética. No entanto, experiências emocionais fortes enquanto criança, como enfrentar uma doença ou morte, abuso psicológico, sexual, negligência, terror psicológico, físico, separação dos pais, orfandade podem levar ao desenvolvimento desta síndrome. Algumas pesquisas sugerem que fatores genéticos, neurológicos, ambientais e sociais podem estar envolvidos no desenvolvimento dos sinais da condição. 

Se acha que sofre de Transtorno de Personalidade Borderline, é importante procurar tratamento

O tratamento do Síndrome de Borderline é realizado com o uso de medicamentos antidepressivos, estabilizadores de humor e calmantes indicados pelo médico psiquiatra.

Além do tratamento com fármacos, é necessário manter acompanhamento psicológico para realizar psicoterapia e ajudar o indivíduo a controlar as suas emoções negativas, como saber enfrentar momentos de maior stress e ansiedade extrema. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório