Meteorologia

  • 19 SETEMBRO 2019
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 27º

Edição

Certos fármacos (também vendidos em Portugal) aumentam risco de demência

Nova pesquisa revela que uma classe de remédios utilizada contra depressão e Parkinson poderia estar associada à doença.

Certos fármacos (também vendidos em Portugal) aumentam risco de demência
Notícias ao Minuto

14:00 - 01/08/19 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Demência e Alzheimer

Todos os tipos de medicação estão sujeitos a gerar efeitos secundários em quem os toma, desde vómitos a dores de cabeça – dos menos aos mais graves. E agora, uma equipa de investigadores sugere que alguns medicamentos podem aumentar o risco de desenvolver demência.

Em destaque, fármacos da classe anticolinérgica, comummente prescritos para tratar problemas como depressão, Parkinson, epilepsia e psicose. O estudo, publicado recentemente no JAMA Internal Medicine, sugere que esses medicamentos podem aumentar o risco de demência em 49%. 

Os anticolinérgicos são compostos que bloqueiam a ação da acetilcolina — um mensageiro químico usado pelo cérebro para controlar os impulsos nervosos dos neurónios que atuam nas células musculares. O medicamento é recomendado para uma variedade de doenças que vão desde dores musculares até tratamento do Parkinson.

De acordo com especialistas, alguns efeitos colaterais dessa medicação incluem confusão e problemas de pensamento e memória. “Os médicos devem ter cuidado ao prescrever certos medicamentos que tenham propriedades anticolinérgicas, alertou Tom Dening, principal autor da pesquisa, à BBC

Apesar disso, o cientista recomenda que nenhum paciente que esteja atualmente sob medicamentos da classe dos anticolinérgicos pare de os tomar sem antes conversar com um médico.

Além disso, a equipa destacou que existe a possibilidade de que os pacientes já tenham manifestados sinais precoces de demência que foram confundidos com outros problemas de saúde e por isso tenham recebido esse tipo de medicamento. “Algumas doenças, como depressão e problemas de sono, por exemplo, são sinais precoces de demência”, explicou a cardiologista Tara Narula à rede televisiva norte-americana CBS

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório