Meteorologia

  • 26 AGOSTO 2019
Tempo
--º
MIN --º MÁX --º

Edição

Cancro da pele e muito mais. As doenças provocadas pela exposição solar

Exposição excessiva ao sol, mesmo com proteção, causa o fotoenvelhecimento da pele. As consequências dos danos causados pela radiação sobre as estruturas celulares e cutâneas (como fibras de colágeno e elastina, responsáveis pela elasticidade da pele) são flacidez, rugas ou linhas de expressão e manchas.

Cancro da pele e muito mais. As doenças provocadas pela exposição solar
Notícias ao Minuto

11:30 - 16/07/19 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Doenças de pele

"Entretanto, outras doenças e transtornos dermatológicos têm como fator desencadeante a exposição excessiva aos raios ultravioleta", explica o dermatologista do Hospital Albert Einstein Mário Grinblat, no Brasil, em declarações à publicação Minha Vida. Os exemplos mais comuns e frequentes são o melasma, melanose solar, fitofotodermatose, queratose e cancro da pele.

Melasmas 

São manchas de sol de tom acastanhado provocadas pelo excesso de exposição solar ao longo da vida. É um transtorno cutâneo muito comum, que pode aparecer em qualquer pessoa. É especialmente comum em mulheres grávidas, entre aquelas que tomam contracetivos orais e nas que necessitam de reposição hormonal durante a menopausa.

Melanose solar 

Também conhecida como melanose senil, são identificadas como manchas escuras, de coloração castanha, geralmente pequeninas, mas que podem chegar a alguns centímetros de tamanho.

Surgem apenas nas áreas que ficam muito expostas ao sol, como a face, o dorso das mãos e dos braços, o colo e os ombros. 

Fitofotodermatoses

Também são manchas bastante comuns causadas após a exposição solar. Resultam de uma inflamação pelo contato da pele com algumas frutas, principalmente as cítricas, como o limão. Quanto mais clara a pele da vítima, mais acentuada será a marca, que tem tons de castanho e não provoca comichão nem ardor. Mas, por mais que pareça banal, a mancha pode levar até um ano para desaparecer e não existe um tratamento específico para garantir o desaparecimento. A prevenção passa por lavar bem as mãos com água corrente e sabão sempre que manusear qualquer fruta cítrica.

Queratose

A queratose actínica ou solar é um dos principais motivos de consulta ao dermatologista. Trata-se de uma ferida áspera, de cor avermelhada ou esbranquiçada, que não cicatriza. A maioria das pessoas procura um especialista para removê-la apenas por uma questão estética, porém existe ainda a possibilidade de 22% da mancha propiciar o desenvolvimento de cancro da pele. 

Ao contrário das melasmas e melanoses, a queratose é áspera e endurecida. Começa como uma lesão minúscula, mas com o tempo pode ser vista com facilidade a olho nu. Como também é reflexo da exposição exagerada ao sol, aparece em locais não cobertos pela roupa, como nuca, rosto, colo e braços.

Cancro da pele

O cancro da pele está entre as doenças de pele mais sérias que podem ocorrer. Quando a exposição aos raios ultravioleta é frequente, mas a proteção solar é quase nula, as chances de desenvolver um tumor são infelizmente bastante elevadas. 

Geralmente este tipo de cancro manifesta-se através de lesões escuras, pintas que aumentam ou mudam de formato, feridas que não cicatrizam e outras alterações na derme. 

Lembre-se que deve usar sempre protetor solar diariamente (durante o ano todo) e repeti-lo principalmente durante os dias mais quentes, intensificando os cuidados com a pele no verão.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório