Meteorologia

  • 25 JUNHO 2022
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 23º

Antiga dona do BPN pode ter de pagar 1,3 mil milhões ao Estado

Plano Especial de Revitalização reconhece dívidas elevadas aos cofres públicos. Antiga Sociedade Lusa de Negócios (SLN) pretendia reconhecer apenas parte da dívida, mas decisão final pode ser mais desfavorável.

Antiga dona do BPN pode ter de pagar 1,3 mil milhões ao Estado
Notícias ao Minuto

07:21 - 23/10/15 por Notícias Ao Minuto

Economia Insolvência

O Estado português quer receber cerca de 1,3 mil milhões de euros da Galilei. O valor é pedido no âmbito da insolvência da antiga dona do BPN, como compensação pelos créditos tóxicos assumidos pela Parvalorem e Parups.

As empresas públicas assumiram a responsabilidade de cobrir as responsabilidades de alguns dos financiamentos de alto risco, após o resgate ao Banco Português de Negócios (BPN).

Na época, a Galilei, ainda chamada Sociedade Lusa de Negócios, abdicou dos produtos financeiros para garantir a estabilidade do grupo, mas a incapacidade de pagar as dívidas resultantes obrigou a empresa a pedir a entrada no Processo Especial de Revitalização já este ano.

No total, os credores reclamam o pagamento de 1.668 milhões de euros, referentes a em total de 1.461 créditos em incumprimento. Cerca de 80% deste valor é devido às duas empresas do Estado que ajudaram a Galilei, com o restante valor em falta a ser devido à banca, subsidiárias e investidores privados que apostaram em produtos financeiros emitidos pela Sociedade Lusa de Negócios.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório