Meteorologia

  • 23 JUNHO 2024
Tempo
26º
MIN 17º MÁX 30º

Certificados de aforro sobem 12% (mas caem pelo 6.º mês consecutivo)

O montante investido em certificados de aforro subiu 12,0% em termos homólogos em abril, para 33.967,32 milhões de euros, mas registando o sexto mês consecutivo de recuos em cadeia.

Certificados de aforro sobem 12% (mas caem pelo 6.º mês consecutivo)
Notícias ao Minuto

13:38 - 22/05/24 por Lusa

Economia Certificados de Aforro

De acordo com os dados divulgados hoje pelo Banco de Portugal (BdP), entre novas entradas (emissões) e saídas (resgates) de dinheiro em certificados de aforro (CA) observadas ao longo de março, o saldo destes títulos de dívida pública subiu 3.643,3 milhões de euros face a abril do ano passado.

Em cadeia, o saldo destes títulos de dívida pública recuou 28,3 milhões de euros, o equivalente a uma queda de 0,083% face a março.

Após uma forte procura, impulsionada com a subida das Euribor, os CA começaram a perder o interesse dos aforradores quando, em junho do ano passado, a série de certificados em comercialização ('série E') foi substituída pela 'série F', com uma taxa de juro mais baixa.

Apesar da mudança de série, as entradas de dinheiro continuaram a ser superiores às saídas até outubro, com o saldo a atingir então os 34.071 milhões de euros, o valor mais elevado da série disponibilizada pelo BdP (que recua a dezembro de 1998).

De referir que, ao longo desta série, o valor mais baixo em CA foi registado em novembro de 2012, quando Portugal estava a cumprir o plano de resgate e a taxa de desemprego disparou, contabilizando-se então 9,7 mil milhões de euros em investimento nestes títulos.

Relativamente aos certificados do tesouro (CT), os dados do Banco de Portugal mostram que o seu valor total recuou em abril para 10.488 milhões de euros, abaixo do mês anterior (10.587 milhões de euros) e longe dos 13.029,0 milhões de euros contabilizados em abril do ano passado.

Segundo os dados estatísticos da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública -- IGCP, as emissões de novos CT foram de apenas três milhões de euros em março e de seis milhões nos primeiros dois meses, enquanto as saídas (resgates) totalizaram 106 milhões e 348 milhões de euros nos dois períodos em análise, respetivamente.

Os dados estatísticos do IGCP relativos a abril não estão ainda disponíveis.

Leia Também: Investimento das famílias em Certificados de Aforro volta a cair

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório