Governo pondera (outra vez) taxar telemóveis e tablets

Com o objetivo de financiar autores, artistas interpretes ou executantes, editores e produtores de música e vídeo, o Governo volta a colocar em cima da mesa a possibilidade de todos os equipamento capazes de gravar ficheiros serem taxados. Segundo o Jornal de Negócios, a taxa nunca poderá ser superior aos 25 euros.

© DR
Economia Armazenamento

Telemóveis, tablets, impressoras, fotocopiadoras, gravadores, CD’s, DVD’s, MiniDisc, memórias USB, máquinas fotográficas com cartão de memória, ‘set up boxes’. Nenhum equipamento escapa ao projeto-lei do Governo que visa taxar todos os equipamentos com capacidade de armazenamento.

PUB

De acordo com o Jornal de Negócios, esta ideia volta a ser falada no interior do Governo e visa financiar autores, artistas interpretes ou executantes, editores e produtores de música e vídeo.

Este projeto-lei possui um limite máximo de taxa que não pode exceder os 25 euros por equipamento. Mais concretamente, explica o jornal, um telemóvel ou um tablet terá uma taxa de 0,15 euros por cada gigabyte de memória. Já nos cartões de memória, ao valor de compra é acrescido 0,02 euros por cada gigabyte.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser