Meteorologia

  • 18 JULHO 2024
Tempo
22º
MIN 16º MÁX 33º

Lucro da EDP aumenta 83% até setembro para 946 ME

A EDP registou, nos primeiros nove meses do ano, lucro de 946 milhões de euros, um crescimento de 83% em termos homólogos, graças, em parte, à recuperação da produção hídrica em Portugal, segundo um comunicado ao mercado.

Lucro da EDP aumenta 83% até setembro para 946 ME
Notícias ao Minuto

18:04 - 02/11/23 por Lusa

Economia Resultados

Na nota, divulgada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo destacou que "o resultado líquido da EDP nos primeiros nove meses de 2023 alcançou 946 milhões de euros suportado, por um lado, pela recuperação da produção hídrica em Portugal em +61% face à seca extrema em 2022" e por outro tendo em conta o "sucesso da OPA sobre a EDP Brasil" e pelo "impacto das mais-valias das duas transações de rotação de ativos em Espanha e na Polónia".

O EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) recorrente da EDP aumentou 26% para os 3.830 milhões de euros, adiantou, "impulsionado pela subida da produção hídrica e normalização dos custos de abastecimento de eletricidade e gás face os primeiros nove meses de 2022, com impacto positivo na recuperação da margem integrada no mercado ibérico".

No entanto, o EBITDA "do segmento eólico e solar baixou 4%, impactado de forma negativa por recursos eólicos abaixo da média, e redução de preços de eletricidade em mercados grossistas europeus" face aos níveis registados em 2022.

Já os "ganhos na atividade de rotação de ativos renováveis tiveram um crescimento de 38%" totalizando 393 milhões de euros "com a conclusão de duas transações significativas em Espanha e na Polónia".

A EDP destacou que, neste período, "continuou a investir fortemente na transição energética com 97% do seu investimento de 4,1 mil milhões de euros alinhado com a taxonomia europeia, sobretudo em projetos de energias renováveis, com 5,2 GW [gigawatts] de capacidade renovável em construção em 19 mercados a setembro de 2023, e em redes de eletricidade em Portugal, Espanha e Brasil".

O grupo destacou que "as energias renováveis representaram já 85% da produção total de eletricidade da EDP", contribuindo para a forte redução de emissões de CO2 em -51% face a 2022.

A EDP indicou que "o EBITDA da atividade de redes de eletricidade em Portugal, Espanha e Brasil diminuiu 2% face ao período homólogo" para 1,1 mil milhões de euros, destacando que "o EBITDA na Península Ibérica baixou 3% devido ao impacto da inflação nos custos operacionais".

Em setembro de 2023 a dívida líquida da EDP totalizava 16,9 mil milhões de euros, "refletindo o financiamento do défice tarifário de 2,3 mil milhões de euros gerado em Portugal sobretudo durante o primeiro semestre de 2023 antes do aumento de tarifas de acesso as redes a 1 de julho, o investimento de 1,1 mil milhões de euros na aquisição dos minoritários da EDP Brasil" e a aceleração do investimento em redes de eletricidade e renováveis.

"Até ao final do ano a EDP conta securitizar a maior parte do défice tarifário acumulado durante o ano assim como realizar o encaixe de uma parte significativa das transações de venda entretanto anunciadas", rematou.

Leia Também: Julgamento do caso EDP vai parar uma semana. Audições serão repetidas

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório