Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2024
Tempo
16º
MIN 9º MÁX 16º

"Não podemos aceitar um aeroporto dentro da cidade", diz CEO da TAP

O presidente da TAP, Luís Rodrigues, defendeu hoje que não é aceitável um aeroporto dentro da cidade numa economia de futuro sustentável e que é preciso tomar uma decisão, "seja ela qual for".

"Não podemos aceitar um aeroporto dentro da cidade", diz CEO da TAP
Notícias ao Minuto

15:44 - 02/10/23 por Lusa

Economia Luís Rodrigues

"Não podemos aceitar que, numa economia de futuro sustentável, haja um aeroporto dentro da cidade", afirmou o 'chairman' e presidente executivo da TAP, durante a sua intervenção no almoço promovido pela Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), em Lisboa.

Para o responsável da companhia aérea, um novo aeroporto é um projeto transformador de um país como Portugal e é preciso uma decisão, "seja ela qual for", para que não se percam os turistas que o país recebe.

Em 27 de abril, a comissão técnica que está a estudar a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa anunciou nove opções possíveis para o novo aeroporto, que incluem as cinco definidas pelo Governo mais Portela + Alcochete, Portela + Pegões, Rio Frio + Poceirão e Pegões.

Uma resolução do Conselho de Ministros, aprovada no ano passado, definiu a constituição de uma CTI para analisar cinco hipóteses para a solução aeroportuária de Lisboa (Portela + Montijo; Montijo + Portela; Alcochete; Portela + Santarém; Santarém), mas previa que pudessem ser acrescentadas outras opções.

No estudo de curto prazo que efetuou para o aeroporto Humberto Delgado, hoje disponibilizado, a comissão técnica propõe medidas para melhorar as condições operacionais do aeroporto de Lisboa no curto prazo, nas quais inclui um novo terminal, "face à necessidade de criar alternativas expeditas no curto prazo com impacto mínimo na operação". 

Outra medida destacada pela CTI é a redefinição das regras de atribuição de 'slots' aeroportuários (faixas horárias para descolar e aterrar).

Para a Comissão poderiam ser ainda tomadas medidas de redirecionamento de voos não comerciais para outras infraestruturas, destacando o "'business aviation' para LPCS (Aeródromo Municipal de Cascais)", o "tráfego militar e VIPs de Estado para uma base militar" sem impacto na operação do aeroporto Humberto Delgado, e o tráfego 'charter' não regular para o terminal civil de Beja.

[Notícia atualizada às 16h42]

Leia Também: Privatização não "estraga planos" de tornar TAP numa das mais atrativas

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório