Meteorologia

  • 15 JUNHO 2024
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 22º

Acordo assinado. Lista de alimentos com IVA de 0% tem 44 produtos

O objetivo é mitigar o aumento do custo de vida. A concretização da lista foi possível após um acordo tripartido entre o Governo e os setores da produção e distribuição alimentar.

Acordo assinado. Lista de alimentos com IVA de 0% tem 44 produtos

O primeiro-ministro, António Costa, revelou, esta segunda-feira, a lista de bens alimentares que são considerados essenciais e passarão a ter uma taxa de IVA de 0%.

A elaboração da lista foi possível graças ao Pacto para a Estabilização e Redução de Preços dos Bens Alimentares, que foi assinado esta tarde entre o Governo, a Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição (APED) e a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

Em conferência de imprensa, a partir do Palácio Foz, em Lisboa, o chefe de Governo começou por agradecer o "empenho" na realização e na "negociação do acordo".

António Costa destacou a "situação muito difícil que o mundo, a Europa e também Portugal enfrenta" devido à "crescente inflação", causada pela pandemia de Covid-19 e "muito agravada pelas consequências nos mercados globais" da guerra na Ucrânia.

O cabaz, dividido em sete categorias, foi realizado "de acordo com a roda de alimentos" e permite "uma alimentação saudável, variando em função da idade de cada um" e teve ainda em conta os "bens alimentares mais consumidos pelos portugueses".

Eis a lista:

Cereais e derivados; tubérculos:

  • Pão;
  • Batata;
  • Massa;
  • Arroz.

Hortícolas

  • Cebola;
  • Tomate;
  • Couve-flor;
  • Alface;
  • Brócolos;
  • Cenoura;
  • Courgette;
  • Alho francês;
  • Abóbora;
  • Grelos;
  • Couve portuguesa;
  • Espinafres;
  • Nabo.

Frutas

  • Maçã;
  • Banana;
  • Laranja;
  • Pera
  • Melão.

Leguminosas

  • Feijão vermelho;
  • Feijão frade;
  • Grão-de-bico;
  • Ervilhas.

Laticínios

  • Leite de vaca;
  • Iogurtes;
  • Queijo.

Carne, pescado e ovos

  • Carne de porco;
  • Frango;
  • Carne de peru;
  • Carne de vaca;
  • Bacalhau;
  • Sardinha;
  • Pescada;
  • Carapau;
  • Atum em conserva;
  • Dourada;
  • Ovos de galinha.

Gordura e óleos

  • Azeite;
  • Óleos vegetais;
  • Manteiga.

O Conselho de Ministros irá realizar-se ainda esta segunda-feira, por via eletrónica, para aprovar a proposta de lei de IVA de 0% para a lista de alimentos. Após a aprovação, António Costa espera que a Assembleia da República a "possa tramitar com a maior urgência possível", além de uma promulgação rápida pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. 

"Foi assumido pela APED, em nome do retalho alimentar, que 15 dias depois da publicação do diploma no Diário da República, serão ajustados os preços em função da redução do IVA", garantiu o governante.

António Costa lembrou ainda que "ninguém sabe" quando é que a guerra na Ucrânia irá terminar. "Enquanto a guerra se prolongar, a tensão sobre os fatores de produção vai continuar a existir. E, portanto, há o risco de os custos de produção aumentarem", alertou, justificando a necessidade de "aumentar os apoios à produção" e acompanhar "semanalmente a evolução dos preços", de forma a "antecipar riscos e responder prontamente".

No total, a aplicação de uma taxa de 0% de IVA num cabaz de produtos alimentares essenciais e o reforço dos apoios à produção vão custar cerca de 600 milhões de euros. As medidas irão durar seis meses.

Recorde-se que o ministro das Finanças, Fernando Medina, já tinha revelado, a semana passada, que o Governo iria reduzir o IVA dos bens alimentares, colocando a taxa no cabaz de bens essenciais a zero, como forma de mitigar o aumento do custo de vida.

O objetivo, segundo o ministro, é "acabar com o sobressalto de não saber se um dia se chega a uma prateleira com um preço mais alto do que encontrou na véspera". 

[Notícia atualizada às 19h39]

Leia Também: Medidas para mitigar inflação são "positivas", mas "muito tardias"

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório