Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2022
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 16º

Compras conjuntas de gás? Galamba "confia num acordo formal" em dezembro

Há um acordo informal sobre as compras conjuntas de gás e reforço da solidariedade na UE, mas as medidas ainda terão de ser aprovadas formalmente num Conselho extraordinário que se realizará em dezembro.

Compras conjuntas de gás? Galamba "confia num acordo formal" em dezembro
Notícias ao Minuto

08:40 - 25/11/22 por Notícias ao Minuto

Economia Gás

Os ministros europeus da Energia chegaram a acordo informal sobre compras conjuntas de gás e reforço da solidariedade, mas ainda terão de aprovar formalmente num Conselho extraordinário em dezembro, juntamente com o teto na bolsa do gás. O secretário de Estado do Ambiente e da Energia, João Galamba, está confiante num acordo. 

"O secretário de Estado do Ambiente e da Energia, João Galamba, confia num acordo formal, a 13 de dezembro, para compras conjuntas de gás, reforço da solidariedade e teto na bolsa do gás", pode ler-se numa publicação da tutela na rede social Twitter. 

Fontes europeias indicaram à agência Lusa que os ministros da UE "concordaram sobre o conteúdo dos dois regulamentos - licenciamento e solidariedade e compras conjuntas -, sendo que o objetivo da Presidência [checa do Conselho] é de os adotar formalmente durante o próximo Conselho Extraordinário da Energia", em 13 de dezembro.

O Governo português defendeu que a proposta da Comissão Europeia sobre mecanismo de último recurso para teto aos preços na principal bolsa europeia de gás natural "não serve para Portugal" da forma como está delineada por "misturar" assuntos.

"A proposta não serve para Portugal. Tornámos claro quais eram os nossos argumentos e fizemos sugestões de melhorias, como fizeram outros países", declarou o secretário de Estado do Ambiente e da Energia, João Galamba, falando aos jornalistas portugueses em Bruxelas no final de uma reunião extraordinária dos ministros europeus da tutela.

Segundo João Galamba, "a posição de Portugal é que a proposta da Comissão mistura dois temas que não devem ser misturados: mistura disfuncionalidade de um índice quando comparado com outros índices, nomeadamente o gás natural liquefeito [GNL], e outro tema ao nível de preços do gás".

Aludindo ao próximo Conselho extraordinário de Energia, marcado para meados de dezembro, João Galamba defendeu ser necessário "continuar a trabalhar numa proposta" até dia 13, dadas as posições ainda "bastante divergentes" entre os países.

Continuidade do mecanismo ibérico? "Ainda estamos a avaliar"

O Governo disse estar "a avaliar" com a Comissão Europeia a continuidade do mecanismo ibérico, que limita o preço do gás na produção de eletricidade, dado o novo instrumento na União Europeia (UE), esperando a sua manutenção.

"Ainda estamos a avaliar. Quando criámos o nosso mecanismo e o fizemos aprovar não havia mecanismo europeu e agora existe e estamos a avaliar", disse o secretário de Estado do Ambiente e da Energia, falando aos jornalistas portugueses em Bruxelas no final de uma reunião extraordinária dos ministros europeus da tutela.

Ainda assim, João Galamba garantiu que o Governo "gosta do mecanismo ibérico" e considera que "funciona e cumpre os seus objetivos". "Portanto tudo indica que irá continuar, mas essa decisão ainda não está tomada", adiantou o secretário de Estado do Ambiente e da Energia.

Em causa está o mecanismo temporário ibérico em vigor desde meados de junho passado para colocar limites ao preço médio do gás na produção de eletricidade, que no caso de Portugal e Espanha é de cerca de 60 euros por Megawatt-hora.

Leia Também: Portugal está "a avaliar" com Bruxelas continuidade do mecanismo ibérico

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório