Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2023
Tempo
MIN 6º MÁX 14º

Seis em cada 10 empresas já aceitaram prazos de pagamento mais longos

A conclusão é do estudo European Payment Report 2022 da Intrum.

Seis em cada 10 empresas já aceitaram prazos de pagamento mais longos
Notícias ao Minuto

09:37 - 15/07/22 por Notícias ao Minuto

Economia Empresas

Seis em cada 10 empresas (62%) nacionais aceitaram, nos últimos doze meses, prazos de pagamento mais longos do que consideram razoável, de acordo com o estudo European Payment Report (EPR) 2022 da Intrum. Este valor, contudo, é inferior ao da média da União Europeia (UE), que está nos 75%.

O estudo revela ainda que a crise na Ucrânia "está a ter menos impacto em Portugal do que em outros países europeus, mas há preocupações com o aumento do custo de vida no país". 

"Mais de metade das empresas (53%) afirma não possuir a experiência interna necessária para gerir com sucesso o impacto da inflação nos seus negócios", pode ler-se num comunicado a que o Notícias ao Minuto teve acesso. 

Além disso, ainda há efeitos da pandemia a considerar: "46% das empresas portuguesas consideram que levará mais um ano, pelo menos, até que a pandemia deixe de ter impacto nos negócios".

Num contexto de incerteza, o estudo da Intrum revela que 64% das empresas portuguesas dizem estar "mais preocupadas do que nunca com a capacidade dos seus clientes pagarem nos prazos, valor em linha com a média europeia, que regista os 62%".

E há mais: "Quando questionadas, 41% dos inquiridos portugueses afirmaram que, se houver registo de outra crise no próximo ano ou dois, não haverá forma de gerir a tesouraria e os lucros como antes da pandemia".

Leia Também: Com subida da Euribor, "é tempo de reajustar hábitos de consumos"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório