Meteorologia

  • 03 OUTUBRO 2022
Tempo
19º
MIN 15º MÁX 27º

Wall Street fecha em alta satisfeita com atas da Reserva Federal

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta, com os investidores animados com a minuta da última reunião da Reserva Federal (Fed) e o voluntarismo dos seus membros contra a inflação.

Wall Street fecha em alta satisfeita com atas da Reserva Federal
Notícias ao Minuto

23:14 - 06/07/22 por Lusa

Economia Wall Street

Os resultados definitivos indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average valorizou 0,23%, para os 31.037,68 pontos, o tecnológico Nasdaq progrediu 0,35%, para as 11.361,85 unidades, e o alargado S&P500 ganhou 0,36%, para as 3.845,08.

As cotações, que evoluíram ao longo do dia em um intervalo de variação estreito, "passaram de negativas para positivas no momento em que as minutas foram publicadas", destacou Jack Ablin, da Cresset Capital, a propósito da ata da reunião do comité de política monetária (FOMC, na sigla em Inglês) da Fed.

"A Fed aproveitou a reunião de junho para afastar todas as dúvidas sobre a vontade de fazer o necessário para estabilizar os preços", comentou Jamie Cox, do Harris Financiel Group.

Na ata, os membros do FOMC consideraram "apropriado" proceder a novas subidas da taxa de juro de referência, depois da de junho, e aceitaram a ideia de que o ciclo de endurecimento monetário deveria afetar o mercado laboral.

O banco central norte-americano "manteve uma linha dura e os investidores gostam disso", adiantou Peter Cardillo, da Spartan Capital.

Se a subida das taxas é, com frequência, desfavorável aos mercados acionistas, em particular ao ritmo atual, porém o controlo da inflação motiva o apoio de Wall Street.

O mercado acionista também repercutiu o tom decidido da Fed e as rachas regressaram à subida, depois da queda brutal dos +últimos dias.

O rendimento da dívida pública dos EUA a 10 anos subir para 2,92%, depois dos 2,81% da véspera. Valor este inferior ao dos títulos da dívida pública a dois anos (2,97%), fenómeno designado de 'inversão da curva de rendimentos', que é considerado como anunciador de recessão.

Quando os investidores admitiam cada vez mais que a Fed ia diminuir o nível das suas subidas de taxas depois da reunião de julho, para considerar a desaceleração da economia, hoje foi dia de recalibrar a perspetiva.

A probabilidade de uma subida dupla de 0,75 pontos percentuais em julho e setembro voltou assim a aumentar, segundo os operadores bolsistas.

Leia Também: Cotação do Brent prossegue queda com medo da recessão mas resiste

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório